Portfolio reviews – Miami Photo Fest

Portfolio reviews – Miami Photo Fest

As revisões de portfólios são essenciais para colocar sua fotografia na frente de especialistas do setor.

O programa Portfolio Review do MiamiPhotoFest oferece aos fotógrafos a oportunidade de apresentar seu trabalho a membros influentes da comunidade fotográfica, incluindo fotógrafos, editores, galeristas e curadores de museus. Essas reuniões individuais oferecem aos fotógrafos oportunidades de networking, conselhos e orientação sobre suas carreiras emergentes.
Miami_Photo_Fest_MPF_Antoine_d_Agata_35.jpg

Antoine d’Agata

Fotógrafo / Magnum Photos

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

screen-shot-2014-04-10-at-15-27-00.png

Bruce Gilden

Fotógrafo / Magnum Photos

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

Maggie_Steber.jpg

Maggie Steber

Fotógrafa / National Geographic / Leica Ambassador

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

Screen Shot 2018-09-23 at 1.39.56 PM.png

Elizabeth Avedon

Curadora independente, Escritora

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

Daniella Zalcman Headshot.jpg

Daniella Zalcman

Fotógrafa documental Vietnamita-Americana, Criadora e Diretora do Women Photograph

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

MalloryBenedict.jpg

Mallory Benedict

Editora da National Geographic, Diretora Geral da Women Photograph

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

1401918070779.jpg

Renée Jacobs

Fotógrafa / Fine Art Nude

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

Miami_Photo_Fest_MPF_Daylight_Books_Michael_Itkoff_02.jpg

Michael Itkoff

Co-fundador Daylight Books

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

Miami_Photo_Fest_MPF_Eva_Maria Kunz_ceiba_editions_04.png

Eva-Maria Kunz

Co-fundadora Ceiba editions

20 minutos / Durante MiamiPhotoFest 2019  27 Fev -03 Mar – us$75

 

Mais infos:

Principais Workshops – Miami Photo Fest

Principais Workshops – Miami Photo Fest

Antoine d’Agata, Pushing Boundaries 

MiamiPhotoFest e Magnum Photos traz a oportunidade de participar de um Master Workshop único, com um dos mais controversos artistas atuais, Antoine d’Agata.

 © ANTOINE D’ AGATA | MAGNUM PHOTOS

Se junte a d’Agata em um workshop de cinco dias, para ampliar suas perspectivas, empurrar seus limites e desenvolver sua visão pessoal geral.

Mais do que aprender novas habilidades técnicas, este curso enfoca a melhoria da visão fotográfica exclusiva de cada aluno. Com a orientação do d’Agata, você será incentivado a mergulhar profundamente em novos conceitos de fotografia, desenvolver sua voz como um contador de histórias, enquanto aprende a editar, criar sequências e criar imagens exclusivas e inovadoras.

Durante o workshop de seis dias, o D’Agata conduzirá os participantes por meio de sessões intensivas de resenhas, críticas em grupo, fotografia e edições para ajudar os participantes a desenvolver sua própria linguagem visual.

Trabalhando com o Antoine d’Agata, os participantes irão fotografar intensivamente durante o workshop, com o objetivo de ampliar os limites de sua abordagem. Ao confrontar as obsessões e contradições, os alunos terão a oportunidade de desafiar a si mesmos, enfrentar seus medos e sair de sua zona de conforto.

Os participantes trabalharão com o d’Agata para criar uma edição final a ser projetada na noite do último dia do evento.

Valor : us$1,700

Máximo de participantes: 12

DATA: 22-26 Fevereiro, 2019

LOCAL: Miami, Florida (Miami Design District)

Bruce Gilden, Be Yourself 

MiamiPhotoFest and Magnum Photos traz a oportunidade de participar de um Master Street Photography Workshop com Bruce Gilden.

   © BRUCE GILDEN | MAGNUM PHOTOS

Junte-se a Bruce Gilden para um workshop de cinco dias para ampliar suas perspectivas, identificando seu estilo de trabalho e definição geral de sua visão pessoal.

Durante este workshop de 5 dias, Gilden conduzirá os participantes através de sessões intensivas de resenhas, críticas de grupos, fotografia e edição. Os participantes terão oportunidades diárias para fotografar por conta própria durante o workshop. Gilden tirará os alunos da zona de conforto, com o objetivo de identificar o estilo de trabalho pessoal de cada participante para fotografia de rua e definir sua visão pessoal.

Aberto a amadores e profissionais apaixonados, esta é uma oportunidade sem precedentes para aprender com o próprio mestre.

Os participantes trabalharão com Gilden para criar uma edição final a ser projetada na noite do último dia do evento.

Valor: us$1,700

Máximo participantes: 12

DATA: 22-26 Fevereiro, 2019

LOCAL: Miami, Florida (Miami Design District)

Kerry Payne Stailey, Art for the Heart

MiamiPhotoFest lhe trará a oportunidade de participar de um único Master Workshop com Kerry Payne Stailey. “Arte para o Coração”, Usando a narrativa visual como uma ferramenta para mover de machucar, para curar, para ajudar.

 ©KERRY PAYNE STAILEY

Neste worksop, os alunos aprenderão a contar suas histórias mais autênticas e utilizar o poder dessas histórias para ajudar os outros.

 Junte-se ao fotógrafo Kerry Payne Stailey para um workshop de 4 dias sobre o desenvolvimento de projetos pessoais que têm a criatividade como uma ferramenta de conexão e autoria em sua essência.

Neste worksop, os alunos irão aprender a contar suas histórias mais íntimas e aproveitar o poder dessas histórias para ajudar os outros.

A turma irá explorar:

planejamento e execução de projetos de longo e curto prazo

fotografar intimidade, vulnerabilidade e desenvolver confiança

compartilhando assunto difícil com um público amplo

estabelecendo relações críticas

criando pontos universais de conexão

colaboração com outros fazedores, criadores, ferramentas e plataformas

marketing e apresentação do trabalho de formas inovadoras

Destinado a fotógrafos amadores e profissionais que gostariam de iniciar um projeto pessoal, procurando novas maneiras de apresentar suas histórias mais privadas, bem como aqueles que buscam um empurrão ou orientação para seus projetos em andamento. É adequado para aqueles que querem contar sua história diretamente, bem como fotógrafos que desejam contar sua história através de seus assuntos.

Nossa rotina diária permitirá que o grupo veja o trabalho dos contadores de histórias pessoais mais respeitados do mundo, críticas em grupo sobre sua experiência diária, orientação individual e se beneficie da percepção coletiva de seus colegas.

Os alunos receberão tarefas diárias e deverão vir com equipamentos para fotografar e editar.

Parte de fotografia, parte narrativa e parte oficina tátil, este programa oferece aos alunos a liberdade de ultrapassar suas próprias fronteiras e descobrir novas possibilidades de auto-descoberta e expressão pessoal, bem como relações de camaradagem e indústria que durarão por toda a vida.

 Valor: us$795

Máximo participantes: 10

DATA: 23 – 26 Fevereiro, 9:30 – 17h

LOCAL: Miami, Florida (Miami Design District)

 

Mais infos:

https://www.miamiphotofest.org

Miami Photo Fest International Emerging Photography Awards  – Convocatória

Miami Photo Fest International Emerging Photography Awards – Convocatória

 

O MIAMI PHOTOFEST  É UM FESTIVAL ANUAL DE FOTOGRAFIA CULTURAL E EDUCACIONAL QUE APRESENTA UMA GRADE  DE WORKSHOPS, EXPOSIÇÕES, PAINÉIS DE PALESTRA, REVISÕES DE PORTFOLIO E MAIS.

DO DIA 27 DE FEVEREIRO  Até  3 DE MARÇO DE 2019

 

O MiamiPhotoFest International Emerging Photography Awards é um concurso anual de fotografia aberto a todos os níveis de fotógrafos, de entusiastas amadores

a aspirantes a fotógrafos profissionais,  Concurso Patrocinado  pela FUJI

 

O objetivo é inspirar os fotógrafos a   desafiar seus limites criativos e superar-se fotograficamente, criando novas oportunidades de descoberta.

 

Com prêmios em dinheiro, equipamento de imagem digital da Fujifilm,  Leituras de  portfólios individuais e oportunidades de exposição  o MiamiPhotoFest

Premiará  os principais talentos ajudando a  fornecer os recursos necessários para impulsionar suas carreiras de forma criativa e profissional .

 

FujiFilm e MiamiPhotoFest estão convidando fotógrafos  de todas as idades e origens de todo o mundo para apresentar seu trabalho ao

júri internacional de especialistas do mundo da fotografia e da arte.

 

A busca é pela  próxima geração de fotógrafos talentosos que são motivados por seu desejo de se destacar, crescer e prosperar nas próximas etapas de suas carreiras.

 

Todas as formas de fotografia são bem-vindas, os juízes estarão  especificamente procurando por imagens únicas e também séries de até oito imagens que seguem uma

narrativa forte e um corpo sólido de trabalho.

 

CONVITE PARA INSCRIÇÕES: 2019 MiamiPhotoFest

 

PREMIAÇÃO DE FOTOGRAFIA EMERGENTE INTERNACIONAL

 

COMPETIÇÃO FOTOGRAFIA ÚNICA

PRIMEIRO PRÊMIO

Prêmio em dinheiro de U$ 1.000

Corpo da câmera FujiFilm X-T20

FujiFilm  XF 18-55mm f / 2.8-4

Exposição coletiva no MiamiPhotoFest 2019

Exposição coletiva no site MiamiPhotoFest

SEGUNDO E TERCEIRO PRÊMIO

Prêmio em dinheiro de  U$ 400

Fujifilm X100F câmera

Exposição coletiva no MiamiPhotoFest 2019

Exposição coletiva no site MiamiPhotoFest

 

20  FINALISTAS

Exposição coletiva no MiamiPhotoFest 2019

Exposição coletiva no site MiamiPhotoFest

Livros da  Daylight Books  :  Bull City Summer: A Season at the Ballpark

Taxa de inscrição: US $ 35 por conjunto de 5 imagens individuais

 

COMPETIÇÃO DE SÉRIE

PRIMEIRO PRÊMIO

Prêmio em dinheiro de U$ 3000

Workshop grátis ou revisão de portfólio (escolha de um) com um Master Photographer durante o MPF2019 ** veja abaixo para detalhes

Consulta profissional gratuita com Elizabeth Avedon na edição e formação do seu trabalho para exposições, livros e apresentações

Consulta profissional gratuita com a Wonderful Machine e presença na web do fotógrafo.

Corpo de câmera FujiFilm X-T3

FujiFilm  XF 18-55mm f / 2.8-4

Exposição coletiva no Miami Photo Fest 2019

Exposição coletiva na galeria Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição Coletiva no PhotoLux Festival 2019 em Siena, Itália

Exposição coletiva no site do Miami Photo FEST

 

SEGUNDO PRÊMIO

 

Prêmio em dinheiro de U$ 400

Câmera FujiFilm X100F grátis Exposição coletiva no Miami Photo Fest 2019 Exposição Coletiva no site do MPF TOP 3 FINALISTAS Exposição coletiva no Miami Photo Fest 2019 Exposição coletiva no site do MPF Cópia dos livros de verão / Bull City Summer: uma temporada no Ballpark Taxa de inscrição: US $ 45 por série de imagens que formam um corpo coeso de trabalho. Máximo de 8 imagens por série.

 

SOBRE NOSSOS JUÍZES

Maggie Steber: Fotógrafo, Leica Ambassador

Yumi Goto: Curadora Independente, Editora, Pesquisadora, Co-fundadora da Reminders Photography Stronghold

Michael Itkoff: Fundador, Daylight Books

Elizabeth Avedon: curadora, designer de livros e exposições e consultora

Moshe Rosenzveig: Diretor Criativo, HEAD ON Photo Festival

Patricia Gouvêa: Artista Plástica, Fundadora do Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro

Molly Glynn: Photo Editor na Wonderful Machine

O BOM MATERIAL

Período das inscrições, 5 de dezembro de 2018 – 13 de janeiro de 2019

Aberto a fotógrafos com 18 anos de idade ou mais. Indivíduos afiliados à Florida Photographic Foundation e Miami Photo Fest e suas famílias imediatas não são elegíveis para nenhum prêmio.

Nomenclatura de arquivos e especificações de imagem

Por favor, envie a quantidade apropriada de imagens com base na taxa paga. Os arquivos devem ser apenas no formato .JPEG, editados para web no espaço de cores sRGB – 2.000 pixels no lado maior e não maiores que 10 MB. Por favor, não inclua bordas ou marcas d’água.

O nome do arquivo deve ser o seguinte: Primeiro nome, sublinhado e Sobrenome, sublinhado e número da imagem em seqüência. O nome de registro e o nome do arquivo de imagem devem ser os mesmos. Exemplo, “John Smith” = John_Smith_1.JPEG / John_Smith_2.JPEG

Os finalistas serão obrigados a enviar um arquivo de alta resolução para fins de impressão. Todos os custos de produção associados à exposição serão cobertos pela Florida Photographic Foundation e pelo Miami Photo Fest.

Os jurados selecionarão 20 finalistas por categoria de Singles, incluindo um primeiro, segundo e terceiro prêmio e 3 finalistas por categoria de série, incluindo um primeiro e segundo prêmio. Os vencedores e finalistas serão notificados sobre seu status até 1º de fevereiro de 2019.

A Florida Photographic Foundation e o Miami Photo Fest notificarão finalistas e vencedores através das informações de contato fornecidas no momento da inscrição; A Florida Photographic Foundation e o Miami Photo Fest podem desqualificar qualquer pessoa que não responda à notificação dentro de cinco dias úteis.

Ao enviar suas imagens, você concorda e aceita os Termos e Condições da competição.

 

Prazo final para inscrição: Todas as inscrições devem ser recebidas até às 23h59, horário padrão do leste dos EUA, em 13 de janeiro de 2019.

** OFICINA GRATUITA DE ESCOLHA REQUER PARTICIPANTE PARA VIAJAR PARA MIAMI DURANTE A FOTO DE MIAMI. O PRÊMIO VENCIDO NÃO INCLUI QUAISQUER DESPESAS PARA OU DE MIAMI COMO AEROPORTO, HOTEL OU TRANSPORTE TERRESTRE. AS AVALIAÇÕES DO PORTFOLIO PODEM ESTAR EM PESSOA DURANTE A FOTO DE MIAMI OU VIA SKYPE EM UMA DATA AGENDADA DURANTE O FESTIVAL.

TODAS AS TAXAS DE SUBMISSÃO VÃO DIRETAMENTE À Fundação Fotográfica da Flórida.

A Florida Photographic Foundation e a receita da MiamiPhotoFest com as taxas de submissão vão apoiar a Florida Photographic Foundation e Miami Photo Fest, incluindo o Miami Photo Fest International Photography Awards, os programas do Miami Photo Fest, workshops, portfólio e muitos outros eventos e exposições fotográficas. ao longo do ano.

Saiba mais sobre a Florida Photographic Foundation.

FujiFilm: Começando em 1934 como o pioneiro fabricante de filmes fotográficos do Japão, a Fujifilm alavancou sua tecnologia de imagem e informação para se tornar uma presença global conhecida por inovação em saúde, artes gráficas, dispositivos ópticos, materiais altamente funcionais e outras áreas de alta tecnologia.

Enviar feedback

UM FESTIVAL ANUAL DE FOTOGRAFIA CULTURAL E EDUCACIONAL QUE APRESENTA UM ARRAY DE WORKSHOPS, EXPOSIÇÕES, PAINÉIS DE PALESTRA, REVISÕES DE PORTFOLIO E MAIS.  27 DE FEVEREIRO – 3 DE MARÇO DE 2019

 

COMPETIÇÃO SINGULAR PRIMEIRO PRÊMIO Prêmio em dinheiro de $ 1000 Corpo da câmera FujiFilm X-T20 livre FujiFilm Livre XF 18-55mm f / 2.8-4 Exposição coletiva no MiamiPhotoFest 2019 Exposição coletiva no site MiamiPhotoFest SEGUNDO E TERCEIRO PRÊMIO Prêmio em dinheiro de $ 400 Livre Fujifilm X100F câmera Exposição coletiva no MiamiPhotoFest 2019 Exposição coletiva no site MiamiPhotoFest 20 MELHORES FINALISTAS Exposição coletiva no MiamiPhotoFest 2019 Exposição coletiva no site MiamiPhotoFest Cópia dos livros de verão / Bull City Summer: uma temporada no Ballpark Taxa de inscrição: US $ 35 por conjunto de 5 imagens individuais

 

COMPETIÇÃO DE SÉRIE IMAGE PRIMEIRO PRÊMIO Prêmio em dinheiro de $ 3000 Workshop grátis ou revisão de portfólio (escolha de um) com um Master Photographer durante o MPF2019 ** veja abaixo para detalhes Consulta profissional gratuita com Elizabeth Avedon na edição e formação do seu trabalho para exposições, livros e apresentações Consulta profissional gratuita com a Wonderful Machine em branding e presença na web do fotógrafo. Corpo de câmera FujiFilm X-T3 grátis FujiFilm Livre XF 18-55mm f / 2.8-4 Exposição coletiva no Miami Photo Fest 2019 Exposição coletiva na galeria Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro, Brasil Exposição Grupal no PhotoLux Festival 2019 em Siena, Itália Exposição coletiva no site do MPF SEGUNDO PRÊMIO Prêmio em dinheiro de $ 400 Câmera FujiFilm X100F grátis Exposição coletiva no Miami Photo Fest 2019 Exposição Coletiva no site do MPF TOP 3 FINALISTAS Exposição coletiva no Miami Photo Fest 2019 Exposição coletiva no site do MPF Cópia dos livros de verão / Bull City Summer: uma temporada no Ballpark Taxa de inscrição: US $ 45 por série de imagens que formam um corpo coeso de trabalho. Máximo de 8 imagens por série.

 

SOBRE NOSSOS JUÍZES

Maggie Steber: Fotógrafo, Leica Ambassador

Yumi Goto: Curadora Independente, Editora, Pesquisadora, Co-fundadora da Reminders Photography Stronghold

Michael Itkoff: Fundador, Daylight Books

Elizabeth Avedon: curadora, designer de livros e exposições e consultora

Moshe Rosenzveig: Diretor Criativo, HEAD ON Photo Festival

Patricia Gouvêa: Artista Plástica, Fundadora do Ateliê da Imagem, Rio de Janeiro

Molly Glynn: Photo Editor na Wonderful Machine

O BOM MATERIAL

Período das inscrições, 5 de dezembro de 2018 – 13 de janeiro de 2019

Aberto a fotógrafos com 18 anos de idade ou mais. Indivíduos afiliados à Florida Photographic Foundation e Miami Photo Fest e suas famílias imediatas não são elegíveis para nenhum prêmio.

Nomenclatura de arquivos e especificações de imagem

Por favor, envie a quantidade apropriada de imagens com base na taxa paga. Os arquivos devem ser apenas no formato .JPEG, editados para web no espaço de cores sRGB – 2.000 pixels no lado maior e não maiores que 10 MB. Por favor, não inclua bordas ou marcas d’água.

O nome do arquivo deve ser o seguinte: Primeiro nome, sublinhado e Sobrenome, sublinhado e número da imagem em seqüência. O nome de registro e o nome do arquivo de imagem devem ser os mesmos. Exemplo, “John Smith” = John_Smith_1.JPEG / John_Smith_2.JPEG

Os finalistas serão obrigados a enviar um arquivo de alta resolução para fins de impressão. Todos os custos de produção associados à exposição serão cobertos pela Florida Photographic Foundation e pelo Miami Photo Fest.

Os jurados selecionarão 20 finalistas por categoria de Singles, incluindo um primeiro, segundo e terceiro prêmio e 3 finalistas por categoria de série, incluindo um primeiro e segundo prêmio. Os vencedores e finalistas serão notificados sobre seu status até 1º de fevereiro de 2019.

A Florida Photographic Foundation e o Miami Photo Fest notificarão finalistas e vencedores através das informações de contato fornecidas no momento da inscrição; A Florida Photographic Foundation e o Miami Photo Fest podem desqualificar qualquer pessoa que não responda à notificação dentro de cinco dias úteis.

Ao enviar suas imagens, você concorda e aceita os Termos e Condições da competição.

 

Prazo final para inscrição: Todas as inscrições devem ser recebidas até às 23h59, horário padrão do leste dos EUA, em 13 de janeiro de 2019.

** OFICINA GRATUITA DE ESCOLHA REQUER PARTICIPANTE PARA VIAJAR PARA MIAMI DURANTE A FOTO DE MIAMI. O PRÊMIO VENCIDO NÃO INCLUI QUAISQUER DESPESAS PARA OU DE MIAMI COMO AEROPORTO, HOTEL OU TRANSPORTE TERRESTRE. AS AVALIAÇÕES DO PORTFOLIO PODEM ESTAR EM PESSOA DURANTE A FOTO DE MIAMI OU VIA SKYPE EM UMA DATA AGENDADA DURANTE O FESTIVAL.

TODAS AS TAXAS DE SUBMISSÃO VÃO DIRETAMENTE À Fundação Fotográfica da Flórida.

A Florida Photographic Foundation e a receita da MiamiPhotoFest com as taxas de submissão vão apoiar a Florida Photographic Foundation e Miami Photo Fest, incluindo o Miami Photo Fest International Photography Awards, os programas do Miami Photo Fest, workshops, portfólio e muitos outros eventos e exposições fotográficas. ao longo do ano.

Saiba mais sobre a Florida Photographic Foundation.

FujiFilm: Começando em 1934 como o pioneiro fabricante de filmes fotográficos do Japão, a Fujifilm alavancou sua tecnologia de imagem e informação para se tornar uma presença global conhecida por inovação em saúde, artes gráficas, dispositivos ópticos, materiais altamente funcionais e outras áreas de alta tecnologia.

Enviar feedback

 

Curso de Flash Dedicado  – Daniel Marins  – ESPAÇO FOTO CONTEMPORÂNEA

Curso de Flash Dedicado – Daniel Marins – ESPAÇO FOTO CONTEMPORÂNEA

 O CURSO

O Curso tem como finalidade discutir a iluminação artificial portátil por meio do uso de flashes dedicados em cima da câmera e remotamente com modificadores de luz. Esse recurso proporciona trabalhar esquemas de luz típicos de estúdio aplicados em ambientes externos e internos, possibilitando equalização da luz ambiente com a luz do flash e potencializando formas criativas de iluminação.

É destinado à fotógrafos com conhecimento básico e intermediário de fotografia que estão querendo conhecer ou melhorar o uso do flash em suas fotografias de: ensaios, casamentos, aniversários, retratos, publicidade, moda etc.

Estudaremos a fundo o comportamento da luz e como fotometrar corretamente para evitar tentativas e erros em seus trabalhos fotográficos utilizando flashs. Iremos ver referências de grandes fotógrafos que utilizam iluminação artificial em suas fotos e entender como cria-las. Praticaremos muito para entender todas as teorias passadas no curso.

PROGRAMA

AULA 01

  • Apresentação dos participantes e do curso
  • Entendendo como o flash funciona com os ajustes da câmera
  • Aprendendo a ligar o modo flash no cérebro
  • Luz Incidente e o Fotômetro de mão
  • Fotometria acurada com o fotômetro da câmera

AULA 02

  • Aprendendo a usar precisamente o Flash no modo TTL
  • Dicas de utilização do flash em eventos
  • Balanço de Branco
  • Equalizando a cor do flash com a luz ambiente
  • Invertendo a cor da luz ambiente

AULA 03

  • Usando o flash no modo manual sem fotômetro de mão
  • Entendendo as propriedades da luz
  • Modificadores de luz e acessórios para flash dedicado
  • Inspiração de iluminação artificial na pintura e fotografia

AULA 04

  • Prática com modelo em externa

AULA 05

  • Revisão
  • Apresentação das fotos feitas na aula prática
  • Dicas de equipamentos e acessórios
  • Entrega dos certificados

Próximos Cursos

05/11
SEG | QUA | SEX
NOITE (19H ÀS 22H)
AULA EXTERNA SÁBADO DIA 10/11 – MANHÃ

PROF.: DANIEL MARINS

DURAÇÃO

  • 4 aulas teóricas de 03 horas
  • 1 aula prática de 4 horas

VALOR

  • R$690,00 em até 3x no cartão ou R$630,00 c/ desconto à vista em dinheiro, cheque ou transferência bancária

PRÉ-REQUISITO

  • Noções básicas de fotografia

SLOW PHOTOGRAPHY: DA PRATA AO PIXEL

SLOW PHOTOGRAPHY: DA PRATA AO PIXEL

O CURSO

Slow Photography é um curso de fotografia analógica, uma experiência única, um mergulho profundo no ato de fotografar. Usando a prática da fotografia analógica para ir de encontro ao fugaz e imediato da fotografia digital, essa maneira de fotografar traz a tona uma fotografia mais lenta, prazeirosa, artística e experimental, exercitando sempre a escolha criativa. É a fotografia como ato de criação, devoção do tempo e manifestação do acaso.

O workshop Slow Photography mostrará novas formas de pensar e criar com a fotografia.

A partir de técnicas experimentais com câmeras de baixo custo, os alunos serão apresentados a diversas possibilidades de criação com a fotografia analógica, tendo como eixo a experimentação artística e o desenvolvimento de uma linguagem autoral que irá mudar a maneira de ver e fotografar.

Além do desenvolvimento de exercícios práticos e de discussões conceituais e técnicas da fotografia analógica, os alunos debaterão trabalhos de fotógrafos atuantes nessa linha, aprenderão sobre as etapas da fotografia ao processo de edição do material produzido e terão um panorama sobre escâneres e processos de digitalização.

PROGRAMA

AULA 01

  • Álbum aberto: quem somos e o que queremos?
  • Apresentação dos participantes
  • O slow photography
  • Da prata ao pixel – três séculos de fotografia

AULA 02

  • As possibilidades criativas:
  • Duplas, triplas e múltiplas exposições
  • Efeitos e defeitos especiais
  • Light leaks
  • Push / pull processing
  • Soup – interferindo quimicamente no filme
  • Processos químicos
  • Cross x-process

AULA 03

  • O conceito na fotografia
  • Apresentação de trabalhos de fotógrafos
  • Quem fez o que e porque
  • Fotolivros e livros de fotografia

AULA 04

  • Saída prática

AULA 05

  • Projeção do trabalho produzido pelos participantes
  • Edição e discussão do material
  • Back to the future, um breve panorama sobre escâneres e digitalização
  • Álbum aberto: quem somos e o que queremos agora?

 Quero informações sobre novas Turmas

 

PROFESSORES

DURAÇÃO

  • 04 aulas teóricas e 01 aula prática de 03 horas

VALOR

  • R$550,00 em até 5x no cartão ou R$500,00 c/ desconto à vista em dinheiro, cheque ou transferência bancária

PRÉ-REQUISITO

  • Nenhum
  • 21 4107.1515
  • 21 99965.5560
  • Rua do Catete, 311 sala 1302 | Catete,
    Rio de Janeiro, RJ | 22220-001
  • contato@fotocontemporanea.com.br

Leituras de Portfólios | Prêmio Ateliê da Imagem Melhor Portfólio 2018

Leituras de Portfólios | Prêmio Ateliê da Imagem Melhor Portfólio 2018

Leituras de Portfólios | Prêmio Ateliê da Imagem Melhor Portfólio 2017

Na terceira edição das Leituras de Portfólios, os leitores convidados foram Ângela Magalhães & Nadja Pelegrino, Claudia Tavares, Daniela Dacorso, Daniella Géo, Marcia Mello, Marco Antonio Portela, Marcos Bonisson e Rony Maltz.

 

ÂNGELA MAGALHÃES & NADJA PEREGRINO

Angela Magalhães (Comunicação Social -UFRJ), foi bolsista da Fulbright/Capes no International Center of Photography /Aperture Foundation NY,1988/89. No Instituto Nacional de Fotografia da Funarte (1979-2003), coordenou as Semanas Nacionais de Fotografia (1982-1989) e diversas mostras. Na área de pesquisa, em co-parceria com Nadja Peregrino, recebeu os prêmios da Fundação Vitae (“Revista Realidade,1966-1976: paradigma de um fotojornalismo moderno no Brasil) e Rio Arte (“O Rio de Janeiro de José Medeiros” ); e publicou os livros Fotografia no Brasil: um olhar das origens ao contemporâneo (MINC/Funarte, 2004) e Fotoclubismo no Brasil – o legado da Sociedade Fluminense de Fotografia (SENAC, 2012). Atuou em comissões nacionais e internacionais como o Tenth Annual Infinity Awards (ICP NY, 1994); The International Photography Research Network- Changing Views of Brazil and Europe (Inglaterra 2006-2007) tendo, ainda, realizado curadorias internacionais na China, Rússia, Perú e Argentina. Recentemente, participou da leitura de portfólios do FotoRio (2016-18) e do Paraty em Foco (2017-18).

Nadja Peregrino é mestra em Comunicação (ECO/UFRJ-1990) com tese publicada no livro O Cruzeiro – A revolução da fotorreportagem (1991). Professora, desde 2002, do Curso de Pós-Graduação Fotografia e Imagem da Universidade Cândido Mendes. Atuou na Funarte (1977-1990) e no Centro de Artes da UFF (1990-1998), organizando exposições de renomados fotógrafos brasileiros e estrangeiros; Como curadora associada independente, realizou diversas mostras, como La revue O Cruzeiro (Chalon Sur Saun, França, (2006); Physis Soma, o corpo, a expressão e a poética do movimento (Casa das Rosas, São Paulo, 2014); Fotografia arte Plural (ICON Galeria, RJ, 2018). Integrou a seleção dos prêmios e porfólios: Marc Ferrez (Funarte, 2010) e ArtePará (Belém, 2010), Premio Pierre Verger, 2017, FotoRio (2016 -18), Paraty em Foco (2017-18) Entre os últimos textos publicados destaca-se Flutuações da fotografia contemporânea, Colóquio Fotografia Bahia, UFBA, 2017. Atualmente, ao lado de Angela Magalhães, é curadora da ICON Galeria (RJ), atuando com a exibição e venda de fotografias.

Leituras de Portfólios | Prêmio Ateliê da Imagem Melhor Portfólio 2017

CLAUDIA TAVARES

Doutora em Processos Artísticos Contemporâneos pelo Instituto de Artes UERJ, Mestra em Artes pela Goldsmiths College, Londres e em Linguagens Visuais pela Escola de Belas Artes, UFRJ e formada em Comunicação Social pela Faculdades Integradas Hélio Alonso, Rio de Janeiro.
Como artista visual, utiliza as linguagens da fotografia e do vídeo. Participou de inúmeras exposições individuais e coletivas em diversos espaços, tais como Espaço Cultural Sérgio Porto, Sesc Pinheiros, Galeria Murilo Castro (BH), Plataforma Revólver (Lisboa), 291 Gallery (Londres) e Galeria Tempo (Rio de Janeiro). Participou das Feira Internacional de Arte Bogotá 2009, SPArte 2012 e da Art Rio 2012 representada pela Galeria Tempo.

Suas exposições individuais são “Light Boxes”, 2001, 291 Gallery, Londres, “entre nuvem e vento”, 2007, Galeria do Ateliê, Rio de Janeiro, “Nós”, 2011, Espaço Sérgio Porto, Rio de Janeiro, “Branco Preto”, 2012, Galeria Tempo, Rio de Janeiro, “Vestida de infância”, 2015, Galeria do Ateliê, Rio de Janeiro; “Até”, 2015, Galeria Graphos, Rio de Janeiro. Ganhou 3o prêmio com o vídeo “BláBláBlá”, na 9o Bienal Nacional de Santos 2004. Publicou os seguintes títulos: 10 verbos, 11 imagens, 1 lembrança, edição de autor, a trilogia VAIEVEM Rio de Janeiro, VAIEVEM São Paulo e VAIEVEM Minas Gerais, Preto Branco, em parceria com Monica Mansur, todos pela Binóculo Editora, empresa que dirigiu entre 2008 e 2015. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

DANIELA DACORSO

Formada em Comunicação Social com Pós-Graduação em Fotografia como Instrumento de Pesquisa em Ciências Sociais, Daniela Dacorso leciona no Ateliê da Imagem e trabalha como fotógrafa free-lancer. Foi professora do Instituto de Artes da UERJ e fotógrafa da Revista Isto é e do Jornal O Globo. Fotografou para capas de discos de diversos artistas, como Titãs, Marcelo D2, Planet Hemp, Caetano Veloso e Jorge Mautner, entre outros. Colaborou como fotógrafa para diversas publicações no Brasil e no exterior, como Guardian(UK), Liberation( FR), La Vanguardia (Espanha), Intro (Alemanha), Revista Vogue e Revista Bravo entre outros. Realizou exposições individuais na Holanda (Netherlands Fotomuseum, Rotterdam), França e Brasil e participa da Coleção Joaquim Paiva de Fotografia/MAM RJ. Desenvolve projetos pessoais em fotografia e participa de residências artísticas, como o projeto “Civilização Sem Fronteiras”, residência fotográfica de três meses na China.

DANIELLA GÉO

Curadora e crítica de arte residente na Antuérpia, Bélgica e Rio de Janeiro. Doutora em Estudos Cinematográficos e Audiovisuais pela Sorbonne Nouvelle-Paris III (foco em Fotografia/Arte contemporânea). Foi curadora da 4e Biennale de Lubumbashi, R.D. Congo, da 5e BIP – Biennale internationale de la Photographie et des Arts visuels de Liège e de Black is beautiful, GRID – 3e Internationale Fotografie Biennale, Amsterdã. Entre suas curadorias recentes estão as exposições retrospectivas Charif Benhelima: Polaroid 1998-2012, MAC de Niterói e MON, Curitiba, e Roger Ballen: Transfigurações, fotografias 1968-2012, MAM-Rio, MON, Curitiba, e MAC USP. Daniela Géo é curadora associada do APT – Artist Pension Trust, NY. Escreveu para diversas publicações, entre as quais a American Encyclopedia of the Twentieth-Century Photography (Routledge, 2005). Professora da EAV Parque Lage, Rio de Janeiro, e conferencista convidada do HISK – Higher Institute for Fine Arts, Gent, Bélgica.

MARCIA MELLO

Marcia Mello é bacharel em Letras pela UFRJ, pesquisadora, curadora e conservadora de fotografia. Em 2006, inaugura a Galeria Tempo com Carolina Dias Leite e Georgiana Basto, em atividade até 2014. Em 2015 foi diretora-curadora da Marsiaj Tempo Galeria (RJ). Nesse periodo, além de organizar inúmeras exposições, participou como expositora das feiras SP/ARTE e ART/RIO. Entre suas atividades mais recententes, destaca-se a co-curadora das exposições “Kurt Klagsbrunn, um fotógrafo humanista no Rio (1940-1960)”, “Rossini Perez, entre o morro da Saúde e a África” e “Ângulos da Notícia, 90 anos de fotojornalismo em O Globo” no Museu de Arte do Rio todas em 2015. No Centro Cultural da Justiça Federal, curou a mostra “Tempos de Chumbo, Tempo de Bossa – os anos 60 pelas lentes de Evandro Teixeira” (2014) e na Galeria do Espaço SESC, “Deveria ser cego o homem invisível?”, fotografias de Renan Cepeda (2015). Como pesquisadora, participou das exposições e livros: “Alair Gomes – A new Sentimental Journey”, Cosac Naify, 2009, e “Caixa Preta – fotografias de Celso Brandão”, Estúdio Madalena, 2016, ambas com curadoria de Miguel Rio Branco e exibidas na Maison Europeenne de la Photographie em Paris. Em 2015, participou do livro “Milan Alram”, edições de Janeiro e Bazar do Tempo, de Joaquim Marçal.

MARCO ANTONIO PORTELA

Marco Antonio Portela é mestre em Ciência da Arte pela UFF. Artista Visual, curador independente, participou de exposições coletivas e individuais dentre elas: Sangue Novo no Museu do Bispo do Rosário; Séria Migrações na Galeria da UFF; O corpo inventado na Caixa Cultural de SP; Em torno do Entorno no Museu do Ingá; Elas na Galeria LGC. Têm obras em coleções como: Joaquim Paiva, Carlos Barroso, Revista ArteNexus (Miami, EUA) e Centro Cultural de Bellas Artes (Lima, Peru). Coordenou a Galeria Meninos de Luz, no Pavão/Pavãozinho, e a Galeria do Poste – Sucursal Rio. Como curador e agitador cultural, já realizou diversas exposições: Piscinão, na Galeria Murilo Castro, Belo Horizonte; Vacas Profanas no solo sagrado do Pavão/Pavãozinho, na Galeria Meninos de Luz; Mostra o seu que eu mostro o meu, na Casa França Brasil; Olhares femininos: aqui e lá, Galeria Fotoativa, Belém do Pará; Efígies, na galeria do Ateliê da Imagem. Ficou em segundo lugar no prêmio PIpa on line 2013.

MARCOS BONISSON

Marcos Bonisson é artista e Mestre em Ciência da Arte (UFF). Nasceu e trabalha na cidade do Rio de Janeiro. É graduado em Letras (UNESA) e Pós-graduado em Arte e Cultura (UCAM). Estudou gravura, desenho, cinema e fotografia na EAV – Parque Lage (1977–1981). Participou da Primeira Trienal de Fotografia do MAM – SP (1980), da 27ª Bienal Internacional de São Paulo (2006), da XIX Bienal Internacional de Cerveira em Portugal (2017) e selecionado para a Segunda Edição da BienalSur (2019). Bonisson tem participado em diversas exposições coletivas no Brasil e no exterior. Publicou o Livro Arpoador (Editora Nau, 2011), o Catálogo Pulsar (Editora Binóculo, MAM, 2013) e o Livro ZiGZAG publicado pela Editora Bazar do Tempo e lançado no Paris Photo em 2017. Suas mais recentes exposições individuais foram no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro em 2013 e a na Maison Européenne de la Photographie (MEP-Paris) em 2015.

RONY MALTZ

Artista visual e professor de arte impressa, Mestre em Fotografia pelo ICP-Bard College (NY). Faz livros de fotografia e projetos multimídia que exploram as convenções do estilo documental e as fronteiras entre texto e imagem. Produziu e dirigiu o longa documentário Atafona, criou o projeto multimídia “Borges: Obras Completas” e a vídeo-instalação “Reading/Readers”. Seu trabalho foi exibido, recentemente, no DUMBO Arts Festival, International Center of Photography e MoMA P.S.1, em Nova York; e no Centro Cultural dos Correios e Centro Cultural Justiça Federal, no Rio de Janeiro. Produtor da Feira URCA de Fotolivros e curador da exposição Livros Possíveis, no Ateliê da Imagem (RJ). Toca a Abrasiva Produções. Fundou, em 2016, a editora {Lp} press.

Escolha 5 leitores (20min cada)
23/11 | sex | 14h às 19h
R$ 280,00

Leituras de Portfólios | Prêmio Ateliê da Imagem Melhor Portfólio 2017

Escolha seu papel e simule  o valor da sua impressão fine art em 22 opções  diferentes.

Escolha seu papel e simule o valor da sua impressão fine art em 22 opções diferentes.

Agora no site da PandoraPix você pode Simular o valor da

sua impressão fine art em 22 tipos de papéis diferentes.

Simples e fácil.

Link da simulação abaixo:
http://pandorapix.com/#escolha

Escolha o papel ideal para cada trabalho. Informe apenas

Altura e Largura e tenha a prévia dos preços.

Link da simulação abaixo:
http://pandorapix.com/#escolha

Exposição Capilaridade de Virna Santolia

Exposição Capilaridade de Virna Santolia

Capilaridade | Virna Santolia

Sobre o autor

Virna Santolia atua do mercado de fotografia publicitária e editorial há mais de 20 anos, é conhecida por seus trabalhos nas áreas de moda, beleza, gastronomia e produtos. Mesmo graduada em Economia pela UFRJ. É pós-graduada em Fotografia & Imagem pela UCAM/IUPERJ.

Texto crítico

A série CAPILARIDADE, de Virna Santolia, partiu de um recorte do acervo de mais de 500 fotografias de seu trabalho profissional. São fotografias do passo a passo de revistas especializadas em beleza e bulas de produtos. Fotos, a priori, técnicas, entretanto apropriadas em um processo artístico de escavação e ressignificação.

O mergulho nesta coleção de fotografias, na qual as modelos são apresentadas sempre de costas, tendo o cabelo como protagonista do enredo visual, nos sugere algumas reflexões, bem como nos remete a referências subjetivas, como o trabalho do fotógrafo nigeriano J.D. Okhai Ojeikere e as Irmãs Xifópagas de Tunga.

Ao desvelar o processo de busca da beleza idealizada – verdadeiro regime imposto às mulheres numa sociedade que normatiza padrões ligados à cultura eurocêntrica –, esta série provoca o descentramento de nosso olhar, propondo outras possibilidades para pensar o conceito de belo e um questionamento acerca dos meios empregados pela mídia e pelas instituições para introjetar nos corpos e sujeitos certas prerrogativas de comportamento e crenças. Em tempos radicais, como o que vivemos, não deixa de ser um gesto de ordem micropolítica.

Na fotografia publicitária – ilustração do mundo do consumo –, as imagens finais são o objetivo em si, buscam a perfeição, são determinadas e planares. No entanto, nesta série, mesmo tomando partido de um código publicitário, o foco é direcionado para o processo, o “entre”, sugerindo, nestas imagens, uma dimensão escultórica e provisória. O procedimento inventariante de Virna Santolia contém um desejo pelo que é relegado à margem, um certo fascínio pelo fragmento e pelo que é descartável que, ao ser deslocado de seu contexto de origem, areja o campo do retrato fotográfico.

Marcos Bonisson e Patricia Gouvêa

Feira Oriente na Villa Aymoré

Feira Oriente na Villa Aymoré

A FEIRA FOTOARTE AGORA TEM NOVO NOME: FEIRA ORIENTE!

Ela vai ocorrer entre 29 de novembro e 2 de dezembro de 2018 na Villa Aymoré – Glória – RJ e você pode ser um(a) do(a)s artistas participantes.

Idealizada e realizada pelo Ateliê Oriente, em parceria com a Villa Aymoré, a Feira Oriente de Artes Visuais é pensada como um espaço para os artistas exporem e comercializarem os seus trabalhos sem intermediários, ou seja, diretamente com os compradores.

Participarão de 40 a 50 artistas, selecionados por uma Comissão de Seleção formada por José Octavio Montesanti, colecionador e fundador da Galeria Montessanti; Luciana Solano, curadora independente; Mariah Rafaela Silva, Mestre em ciências humanas e Vicente de Mello, fotógrafo e artista. Além disso, a Comissão irá premiar um (a) artista participante com um voucher no valor de R$500 (sem reembolso), com validade de 6 meses, para ser utilizado pelo premiado ou transferível, para qualquer curso ou workshop no Ateliê Oriente.

As inscrições possuem uma taxa de R$120,00 e devem ser feitas online nesta página, no botão abaixo (“Quero me inscrever”). O pagamento da taxa de inscrição não garante a participação do artista, visto que haverá uma Comissão de Seleção e Premiação para avaliar e selecionar os participantes.

As inscrições estão abertas do dia 12 de outubro até 12 de novembro de 2017, às 23:59 (horário de Brasília).

Mais informações : http://www.atelieoriente.com/feiraoriente/

 

Exposição – Projeto Identidades – Galeria Aliança Francesa – RJ

Exposição – Projeto Identidades – Galeria Aliança Francesa – RJ

CONVIDAMOS VOCÊ PARA A ABERTURA DA EXPOSIÇÃO
Projeto Identidades – 2ª edição

Curadoria: Osvaldo Carvalho

25 de outubro  •  Galeria Aliança Francesa

  17h Mesa redonda    18h Abertura 

Rua Muniz Barreto, 746, Botafogo, RJ

 

A Galeria Aliança Francesa inaugura quinta-feira, dia 25, “Projeto Identidades – 2ª edição”, exposição que apresenta cerca de 25 obras de 17 artistas e oferece ao público uma reflexão sobre a extensa gama de entendimentos que a identidade suscita em cada um de nós. Sob a curadoria do artista plástico e curador Osvaldo Carvalho, a exposição traz obras de Ana Paula Albé, Benoit Fournier, Eduardo Mariz & Osvaldo Carvalho, Fábio Carvalho, Gabriela Massote, Gian Shimada, Isabel Löfgren & Patricia Gouvêa, Marcelo Carrera, Mayra Rodrigues, Mayra Rodrigues, Paulo Jorge Gonçalves, Raimundo Rodriguez, Rogério Reis, Vincent Catala e Vincent Rosenblatt. O evento tem início às 17h, com mesa redonda com o curador e artistas participantes. 

Com a montagem desse projeto percebemos a extensa gama de entendimentos que a identidade suscita em cada um de nós. Nessa edição os trabalhos apresentados afinam o espectro poético visual que foi anunciado na edição anterior – como me vejo e como sou visto ainda é recorrente; contudo, ver o outro com sensibilidade cívica revela-se uma necessidade premente, urgência primeira frente a discursos de ódio e intolerância sociais. A identidade pode ser a construção legal, histórica ou sociológica do ser, mas também é a medida pela qual cogitamos nossa própria existência.

 

 

Exposição – Mãe Preta  de  Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa

Exposição – Mãe Preta de Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa

Vênus da Gamoa #2 (2016), interferência sobre livros com imagens de August Stahl ca. 1885 (Foto: Divulgação)

 

SÃO PAULO

Exposição – Mãe Preta


Exposição concebida por Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa, de 5/10 a 25/11, Galeria Mario Schenberg, Funarte, Alameda Nothmann, 1058 | maepreta.net

exposição Mãe Preta foi idealizada pelas artistas Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa e recebeu o Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais de 2016. A partir de releituras de imagens e arquivos do período escravocrata, a exposição investiga os elos e ressonâncias entre a condição social da maternidade durante a escravidão e as vozes de mulheres e mães negras na atualidade.

 

Idealizada pelas artistas visuais Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa, a mostra reúne vídeos, fotografias, instalações e contará com performance de Glauce Pimenta Rosa e Jessica Castro na abertura, oficina com Jarid Arraes e lançamento de catálogo com textos de Lilia Moritz Schwarcz, Martina Ahlert, Qiana Mestrich, Temi Odumosu, Alex Castro e Júlio César Medeiros da Silva Pereira

As conhecidas imagens das amas-de-leite negras, registradas desde meados do século 19 ao início do século 20, são o ponto de partida da pesquisa das artistas Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa para a realização da exposição“Mãe Preta”, que recebeu o Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais de 2016. Após grande sucesso de público e crítica no Rio de Janeiro, em 2016, quando foi exibida na Galeria Pretos Novos de Arte Contemporânea (dentro do Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos, na capital fluminense), com cerca de 2 mil visitantes, e também em Belo Horizonte,em 2017, no Palácio das Artes, a exposição chega a São Paulo, na Galeria Mario Schenberg, da Funarte. A abertura ocorre em 4 de outubro e seguirá em cartaz até 25 de novembro, reunindo fotografias, vídeos, instalações, performance e literatura.

O projeto surgiu de uma pesquisa artística de Isabel e Patricia, iniciada em 2015, que busca, visto que é um trabalho em constante progressão, traçar os elos e as ressonâncias entre a condição social da maternidade durante a escravidão por meio de releituras de imagens e arquivos do período, o desaparecimento da história escravocrata na malha urbana das cidades brasileiras e as vozes de mulheres e mães negras na contemporaneidade. O intuito da mostra é discutir a questão da memória da escravidão e o legado da mulher negra na formação da sociedade brasileira dentro da história visual do país.

“A exposição objetiva contrapor a representação romantizada das “mães pretas” e da maternidade em arquivos históricos do período escravocrata ao protagonismo real e crescente exercido pelas mães negras de hoje. Iniciamos este projeto dentro de um contexto histórico com as escavações arqueológicas e a memorialização da escravidão da região portuária do Rio de Janeiro nos últimos anos. À medida que foram se revelando diversos achados, começamos a buscar elementos que se articulassem com o papel da mulher negra – focando na sua função dupla como mãe de seus próprios filhos e como amas-de-leite de crianças brancas – na formação social da cidade. Essas vidas, marcadas pelo terror da separação e mesmo morte de seus filhos em prol da criação dos filhos de outrem, deixaram marcas indeléveis como uma das grandes injustiças da história do Brasil e de toda a sociedade escravocrata. Com a exposição propomos como reflexão as lacunas históricas em relação ao papel fundamental da maternidade tal como exercido pela mulher negra na nossa história urbana, social e visual, buscando pontos de inflexão com as lutas na sociedade contemporânea”, afirma Isabel.

Inédita em São Paulo, a exposição – que ainda seguirá para São Luís, no Maranhão, em dezembro – inclui o lançamento de um catálogo com contribuições de nomes nacionais e internacionais, como a antropóloga e curadora-adjunta para histórias e narrativas no Masp, Lilia Moritz Schwarcz (USP); a antropóloga e pesquisadora Martina Ahlert (UFMA); o escritor Alex Castro; o historiador e diretor do Núcleo de Estudos e Pesquisa do Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos, Júlio César Medeiros da Silva Pereira (UFF); a historiadora da arte, educadora criativa e curadora britânico-nigeriana Temi Odumosu (Universidade. de Malmö – Suécia); e a fotógrafa, escritora e professora do ICP-Bard (EUA), a norte-americana Qiana Mestrich.

 

Um dos pontos altos da exposição é a vídeo-instalação “Modos de Fala e Escuta” (com 27 minutos de duração), que reúne o depoimento de sete mães negras sobre maternidade, racismo, memória, ancestralidade, violência e lutas cotidianas. Nesse sentido, outro destaque da mostra é a obra “Mural das Heroínas”, com 20 retratos de líderes negras, desde Luísa Mahin, Tereza de Benguela e Nzinga de Angola às feministas Lélia Gonzalez e Beatriz do Nascimento, além de figuras políticas como Laudelina de Campos e Marielle Franco, entre outras, que simbolizam as conquistas sociais, a luta, a resistência, a voz e o lugar histórico da mulher negra no Brasil.

A exposição também conta, ainda, com a minibiblioteca Mãe Preta, que conta com publicações de autoras negras contemporânea se uma seção voltada para a literatura infanto-juvenil com títulos sobre protagonismo negro para consulta do público.

Dividida em oito séries, “Mãe Preta” apresenta instalações, colagens e intervenções em gravuras e fotografias, que, reunidas, propõem uma reinvenção poética da iconografia relacionada às mães pretas dentro de uma linguagem contemporânea tendo como ponto de partida imagens fotográficas do acervo do Instituto Moreira Salles, do Rio de Janeiro, e releituras de livros com gravuras de Jean-Baptiste Debret, Johan Moritz Rugendas e outros artistas. Isabel e Patricia criaram intervenções nessas imagens com objetos óticos, como lupas e lentes, que destacam a complexidade das relações das amas-de-leite com as crianças brancas de seus senhores e das mulheres escravizadas e seus próprios filhos dentro de contextos domésticos, urbanos e rurais.
“De tão conhecidas, estas imagens são vistas de forma superficial e contribuem para um olhar normalizado sobre a vida dessas mulheres que desempenharam um papel fundamental na formação da sociedade brasileira, mas que não revelam as histórias de violência sofridas por elas. Os trabalhos propõem uma nova forma de olhar essas imagens, de modo que a figura materna apareça no primeiro plano e não apenas como um detalhe da vida cotidiana e familiar nos tempos da escravidão”, explica Patricia.

Nesse sentido, marcas naturais do tempo em reproduções de negativos de Marc Ferrez e outros fotógrafos do século 19 são aproveitadas para simbolizar cicatrizes expostas em composições fotográficas em substituição a cópias perfeitas. A dupla também levantou, em jornais de época, anúncios sobre o aluguel de amas-de-leite, assim como artigos em publicações abolicionistas denunciando escândalos e abusos diretamente relacionados à questão das amas-de-leite no século 19, sobre os quais também intervêm com diversos objetos.

Para esta edição, as artistas fizeram uma imersão nos contextos específicos de São Paulo e São Luís, para onde a exposição viajará após a etapa paulistana. Na capital paulista, as artistas seguiram o debate sobre o apagamento da história negra da cidade e, no Maranhão, realizaram entrevistas com lideranças femininas dos Quilombos Santa Rosa dos Pretos e Santa Joana, que resultaram em obras inéditas que serão apreciadas pelo público.

O catálogo da exposição será lançado em 10 de novembro, na Galeria Funarte, em São Paulo. Na ocasião, haverá uma oficina gratuita com a escritora, poetisa e cordelista Jarid Arraes, cearense radicada em São Paulo e autora dacoletânea “Heroínas Negras Brasileiras em 15 Cordéis”, lançado pela Pólen Livros em 2017.

“Este projeto foi contemplado pelo Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais – Galerias Funarte de Artes Visuais São Paulo / Maranhão / Chão SLZ

Exposição : Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira – 18 AGO – 16 SET 2018 – Parque Lage  – RJ

Exposição : Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira – 18 AGO – 16 SET 2018 – Parque Lage – RJ

 

História da Exposição

“A diferença é um dos fundamentos do queer, termo de origem pejorativa que teve seu significado transformado nos anos 1980 na luta por direitos civis e movimentos LGBTQIA+. Desde então, queer passou a designar a diversidade e o direito a uma existência fora da norma.”

“Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira” explora a expressão e identidade de gênero, a diversidade e a diferença na arte brasileira por meio de um conjunto de obras que percorrem um arco histórico de meados do século XX até a atualidade. A exposição reúne 264 obras de 85 artistas, dentre eles: Adriana Varejão, Alfredo Volpi, Bia Leite, Cândido Portnari, Cibelle Cavalli Bastos, Leonilson, Lygia Clark, Pedro Américo, Roberto Cidade e Sidney Amaral. Provenientes de coleções públicas e privadas, as obras são igualmente representativas da diversidade estética, geográfica e geracional da produção artística do Brasil.

Em sua primeira apresentação realizada no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre, a exposição sofreu uma campanha difamatória em redes sociais de grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL), na qual seus participantes afirmavam que a exposição fazia apologia à pedofilia, pornografia e à zoofilia, além de desrespeito à figura religiosa, por isso ameaçaram boicotar o Banco Santander, que cancelou a exposição. Todas as acusações foram desmentidas pelo Ministério Público Federal, que se manifestou afirmando não haver crime de qualquer espécie tendo recomendado a imediata reabertura da exposição, que não aconteceu.

A exposição seria, então, realizada no Rio de Janeiro, pelo Museu de Arte do Rio (MAR), porém foi censurada por Marcelo Crivella, prefeito da cidade, que declarou em um vídeo que a exposição só aconteceria se fosse “no fundo do mar”.

“Queermuseu se propunha a ser um museu provisório, de caráter metafórico, cujo objetivo é propiciar um campo de investigação sobre o caráter patriarcal e heteronormativo do museu como instituição ao fazê-lo constituir uma plataforma de experiência para exercitar o pensamento de outra forma, ou seja, pensar fora da norma”. Segundo o curador da mostra, Gaudêncio Fidelis, “é uma exposição fundada na democracia e na visão de um processo de inclusão”.

A Queermuseu no Parque Lage

– O maior financiamento coletivo do Brasil

A fim de contrariar a censura imposta, o Parque Lage realizou uma campanha de financiamento coletivo, na qual bateu recorde de maior campanha realizada no Brasil, chegando a marca de mais de 1 milhão de reais e 1678 de participantes.

Inicialmente meta foi fixada em 690.000 reais, após essa primeira etapa a meta foi aumentada mais 2 vezes: a segunda em 890.000 reais e a terceira em 1.000.000 reais, que foi ultrapassada por 81.176 reais, acarretando na ampliação do projeto. Alcançou-se o objetivo para reforma das Cavalariças do Parque Lage, onde ficará hospedada a exposição.

Como recompensa para os apoiadores do financiamento coletivo, foram oferecidos diversos benefícios, dentre eles, camisa com o tema “Quanto mais Queer melhor”, catálogos, obras e múltiplos cedidos gratuitamente pelos artistas: Rosângela Rennó, Nino Cais, Marcos Chaves, Matheus Rocha Pitta, Paulo Bruscky, Guto Lacaz e Carla Chaim.

Conheça o site do financiamento coletivo:
benfeitoria.com/queermuseu

Clique aqui e conheça a lista de nomes dos apoiadores.

– Levante Queremos Queer

Além da campanha realizada pela plataforma Benfeitoria, o Parque Lage ofereceu o Levante Queremos Queer, em fevereiro de 2018, evento realizado em parceria com Dyonne Boy (coordenadora executiva do Jongo da Serrinha) e Julio Barroso (agitador cultural e integrante do Ocupa Carnaval), que contou com programação infantil, debates e música oferecida por diversos grupos, como Afoxé Filhos de Gandhi e Bateria da Mangueira. Em maio do mesmo ano será realizado um novo evento Levante Queer, com uma nova programação para o sábado dia 26.

Saiba mais sobre a programação do Levante Queremos Queer:
eavparquelage.rj.gov.br/levante-queremos-queer

– #mariellepresente e show Caetano contra Censura

O assassinato da vereadora da cidade do Rio de Janeiro, Marielle Franco, mulher, negra e homossexual, em 14 de março de 2018, como uma triste coincidência, antecedeu o show “Caetano contra Censura”, realizado no dia seguinte no Parque Lage, a fim de dar início ao leilão de obras para financiamento da exposição. O leilão se deu de forma silenciosa como de luto e protesto e as obras foram vendidas não no momento, mas durante a semana para os presentes no leilão.

– A queermuseu e a judicialização da arte
A EAV Parque Lage promoveu, no dia 18/05, o debate “A Queermuseu e a Judicialização da Arte no Brasil”, reunindo cinco experts da área jurídica para debater a censura da exposição Queermuseu. A conversa sobre direitos constitucionais, arte e cultura contou com a presença de Fabio Szwarcwald (diretor da EAV), Marcelo Viveiros de Moura, Daniel Sarmento, Deborah Duprat, Joaquim Falcão, Nélio Machado e mediação de Demian Guedes.

Saiba mais sobre a programação desse evento:
eavparquelage.rj.gov.br/queermuseu-judicializacao-da-arte

– Levante Queer

No Sábado dia 26 de maio, ocorreu a segunda edição do Levante. A programação fez parte da plataforma curatorial da exposição Queermuseu no Parque Lage. Um grande movimento contra a censura e a intolerância, dando voz às mais diversas manifestações artísticas brasileiras.

O dia seguiu embalado por apresentações de grupos ligados à cultura popular, como o Afoxé Filhos de Gandhi e o Carimbloco. A bateria mirim da Grande Rio também integrou a programação, que contou ainda com Tyaro Maya, Chico Chico, Duda Brack, Caio Prado e outros. O Levante Queer teve produção da Escola de Artes Visuais do Parque Lage em parceira com Julio Barroso (produtor cultural, integrante do Ocupa Carnaval) e Dyonne Boy (coordenadora executiva do Jongo da Serrinha).

A partir das 14h, após introdução do diretor da EAV, Fabio Szwarcwald, e do curador Ulisses Carrilho, começaram os debates, no Salão Nobre. A primeira mesa, com o tema ‘periferia ocupa’, teve mediação de Julio Barroso (segue abaixo programação completa com os integrantes). A segunda, mediada por Carrilho, discorreu sobre as narrativas queer.

Saiba mais sobre a programação do Levante Queer:
eavparquelage.rj.gov.br/levante-queer

– Produção Queermuseu no Parque Lage

Com o sucesso da campanha, as reformas nas Cavalariças do Parque Lage já foram iniciadas para abrigar a exposição, que tem como previsão de abertura meados de agosto de 2018.

Será adotada uma postura institucional responsável em relação aos diferentes públicos com sua programação e, por isso, serão aplicadas as orientações previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Workshop Individual  de Impressão Fine Art  – Marcelo Carrera Maia

Workshop Individual de Impressão Fine Art – Marcelo Carrera Maia

Workshop Individual de Impressão Fine Art – Marcelo Carrera Maia

 

O Workshop Individual de  Impressão Fine Art visa esclarecer no que consiste uma reprodução perfeita da sua imagem usando padrões internacionais de qualidade, garantindo durabilidade e profundo controle das cores e resultado.

 

O Workshop  apresentará  fundamentos para a impressão fine art:

– Como preparar um arquivo  para dar saída de impressão e conseguir o melhor resultado final.

– Pigmento Mineral

– Apresentação dos principais papéis para impressão,   como algodão, arroz, bambu,  alfa celulose, satinados,  perolados, barytados, canvas, e fotográficos.

– Tipos de impressoras  e tecnologias disponíveis.

– Permanência , durabilidade e conservação.

– Gerenciamento de cor.

– Fluxo de trabalho, pré-impressão, correções e ajustes de nitidez.

– Uso dos perfis ICC

–  Soft proof

– Apresentação dos  equipamentos de calibração e impressão, como colorímetros, espectrofotômetros e densitômetros.

– Prática de impressão e avaliação das imagens impressas.

–  Molduras e acabamento possíveis.

– Como atender e superar as expectativas do rigoroso mercado da arte.

–  Estratégias para circular, apresentar e comercializar seus trabalhos.

 

 

A quem interessa?

Importante a todos que pretendem aprender a fazer as melhores escolhas na hora de preparar a sua imagem  e de selecionar o papel mais adequado para a impressão.

Por ser individual garante maior foco e atenção no aluno.

O participante sairá do workshop com um portfólio impresso em Fineart com 10 imagens a sua escolha, no tamanho 30cm x 20cm.

Carga horária: 6 horas

Local: Laranjeiras

Valor R$ 600,00

Data : a combinar (21) 98107 0910  – marcelo@marcelocarrera.com

 

 Saiba mais  – Professor : Marcelo Carrera Maia

 

Assista o Video

 

 

Conta para Dépósito

PANDORAPIX FOTOS E PRODUÇÕES LTDA

BANCO SANTANDER – 033

AG. 3826

CONTA CORRENTE – 13003329-4

CNPJ – 18.211.713/0001-60

Nova temporada de Arte na Fotografia 

Nova temporada de Arte na Fotografia 

A nova temporada de Arte na fotografia selecionou 6 participantes entre mais de 400 inscritos de todo país.

Os fotógrafos participantes são: Nicole Zabukas (21 anos – São Bernardo – SP), Fred Gustavos (31 anos – Cuiabá – MT), Nego Júnior (38 anos – São Paulo – SP), Maria Isabel (28 anos – mineira que mora no Rio de Janeiro), Leonil Junior (22 anos – Joanópolis – SP) e Maíra Erlich (31 anos – Pernambucana, mora em São Paulo).

A nova temporada terá convidados renomados, provas desafiadoras e muitos surpresas. Segundo a produção, o processo de seleção dos participantes foi criterioso.

Uma das novidades é que as provas terão um aspecto mais interativo. Já que preveem a participação dos espectadores nas redes sociais. Com direito a desafios fotográficos também para quem assiste ao reality.

A próxima temporada do Arte na Fotografia estreia no dia 3 agosto no canal (pago) Arte 1 às 20:30, mas sempre com reprises na internet. http://canalarte1.com.br/  

Z42 Arte inaugura exposição Costas de Vidro – fotografias de Edu Monteiro

Z42 Arte inaugura exposição Costas de Vidro – fotografias de Edu Monteiro

Costas de Vidro – exposição de fotografias de Edu Monteiro

Curadoria: Roberto Conduru

Z42 Arte – Rua Filinto de Almeida, 42 – Cosme Velho. Rio de Janeiro – RJ

Data de abertura: 30 de julho de 2018 – 19 horas

Livre

Até dia 21de agosto

Entrada franca

Evento faz parte da programação do Foto Rio RESISTE 2018.

 

 

 

Primeiro é preciso explicar o título da exposição e como o premiadíssimo fotógrafo Edu Monteiro descobriu e fotografou após quatro anos de investigações e três viagens à Martinica, entre elas uma residência de seis meses em busca do universo mágico, esta dança de combate – uma luta entre o visível e o invisível nas encruzilhadas da diáspora africana – seus pesos e magias.

 

Costas de Vidro é uma expressão utilizada pelos lutadores da Ladja – uma dança de combate praticada exclusivamente na ilha da Martinica, no Caribe, que lembra bastante a capoeira em alguns aspectos. O principal fundamento desta luta é o “ou wè`y ou pa wè`y” expressão em crioulo que significa: “vê mas não vê” e se refere à capacidade ilusionista dos golpes desta arte, que impossibilita a percepção visual do oponente diante do ataque – transformando o visível em invisível através do corpo. Nesta luta quem tem as costas de vidro não pode ser visto. Faz parte FotoRio resiste.

 

Curadoria Roberto Conduru 

 

Segundo o curador Roberto Conduru…”é simples a imagem com a qual Edu Monteiro apresenta Costas de Vidro. Nela, um homem afrodescendente parcialmente imerso na água segura um tambor. A tensão da pega parece visar menos a proteger o tambor do encontro com a água e mais a trazê-lo junto, conectá-lo a si. De tal modo que corpo humano e tambor tornam-se um a extensão do outro. Fazendo as vezes de tronco e cabeça, o tambor ultrapassa a condição de objeto. Dando braços e pernas ao artefato de madeira, ferro, sisal e couro, o homem amplia atributos e habilidades”.

 

Sobre o  Fotógrafo

Edu Monteiro é fotógrafo, pesquisador e doutorando em Artes pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, mestre em Ciência da Arte pela Universidade Federal Fluminense – UFF (2013) e possui formação em Artes e história visual pelo museu Jeu de Paume em Paris (2017). Autor dos livros Autorretrato Sensorial (Pingadoprés, 2015) e Saturno (Azougue Editorial, 2014). Um recorte de Costas de Vidro foi exposto no China Art Museum, como uma das exposições integrantes do Shanghai International Photography Festival de 2017.  

Onde!

Z42 Arte está localizado ao lado da subida do Cristo Redentor e se distingue de outros centros culturais. Construído nos anos 1930, o casarão conta com sete salas de exposições e sete ateliês, em que artistas representados pela Z42 Arte vão trabalhar diante do público. — A ideia é haver reciprocidade entre o artista e o público. “A arte é o nosso oxigênio e o seu processo de criação é lindo, tem vida. Queremos que o visitante crie uma sintonia com a construção das obras. Conheço poucos lugares do mundo com essa proposta” afirma o diretor da Z42 Arte Eduardo Lopes.

 

PandoraPix – estúdio de impressão fine art certificado – RJ

PandoraPix – estúdio de impressão fine art certificado – RJ

VER O VIDEO

A PandoraPix é um estúdio de impressão fine art certificado pela Hahnemühle no Rio de Janeiro.

Estamos em Laranjeiras e atendemos em nosso estúdio : galerias, museus, fotógrafos, artistas, designers,
curadores, produtores, arquitetos, amantes da imagem e demais profissionais do mercado de arte.

Nossa produção abrange desde caixas de portfolio até exposições completas, imprimindo em
diversos suportes (papel, canvas,, metacrilato).

Nossas impressões são feitas seguindo padrões museológicos, em papel de algodão Hahnemuhle, Canson
e Awagami que garantem durabilidade de até 250 anos.

Utilizamos materiais de PH neutro, monitores calibrados, impressoras HP Designjet Z3200PS,
com 12 cores de pigmento mineral considerada a melhor e mais moderna impressora para impressões Fine Art.

Somos os únicos no Rio de Janeiro que fazemos certificado numerado e com selo holográfico para as obras.
Enviamos anexo gratuitamente uma obra e seu respectivo certificado para ilustração.

Auxiliamos a realização de projetos de exposição, fazemos tratamento de imagens e interpretação com
o autor ajudando a decidir a melhor mídia para cada trabalho.

Todo o processo supervisionado por profissionais com experiência no ramo de Impressões, ampliações fotográficas, e tratamento de imagem.

Cuidamos com excelência da sua impressão, oferecemos atendimento personalizado e com hora marcada, para quevocê tenha a maior atenção e a garantia da melhor qualidade final do trabalho.

A PandoraPix é a sua nova opção de ateliê de impressão fine art no Rio de Janeiro.

Conte conosco!

Agende sua visita.

www.pandorapix.com

Laranjeiras – RJ

21 3283 8000

 

Instantes Cruzados – Milton Guran

Instantes Cruzados – Milton Guran

Veja o Vídeo

A fotografia ganha uma sensacional série documental que estreia terça-feira, dia 12, no Canal Curta!, às 23:30.

Sob o título Instantes Cruzados, revisita algumas das imagens mais emblemáticas da fotografia brasileira por uma releitura pelo olhar de fotógrafos contemporâneos.

A cada episódio o fotógrafo e antropólogo Milton Guran, apresentador da série, convida um fotógrafo contemporâneo consagrado a fazer uma imagem que dialogue com uma imagem que tenha marcado a história da fotografia no país, a partir de um desafio que eles enfrentam: transpor para os nossos dias o essencial do que foi representado na imagem de referência. O programa estreia com duas lendas vivas da fotografia: Evandro Teixeira e Marcia Foletto.

O curta! é sintonizado nos canais 56 da NET, 132 na GVT, 76 na Oi TV, 664 na Vivo TV e 69 na Claro TV. Quem perder a estreia tem as reprises: quarta-feira às 17h 30, quinta-feira às 11h30 e sábado às 21h30.

 

-1:37

Desert Breath

Desert Breath

Desert Breath é uma instalação  land art  no deserto do Egito, perto de Hurghada, e perto da costa do mar vermelho. É uma obra de arte de grande dimensão, que consiste em vários montículos de areia dispostos em dupla  espiral.

 

Foi criada pelo grupo D.A.ST. Arteam, um coletivo de três artistas gregas –  Danae Stratou, escultora, Alexandra Stratou, designer industrial, e Stella Constantinides , arquiteta. A obra, foi  terminada em 7 de março de 1997, cobre uma área de 100 000 m2 e está junto a uma estrada.. Contam-se 89 cones proeminentes de dimensão gradualmente maior à medida que se afastam do centro das espirais, e outros 89 cones invertidos. A areia retirada dos cones invertidos foi usada para construir os cones salientes, o que implicou a movimentação de 7900 m3 de areia. No centro da obra está uma superfície de água que forma uma piscina circular com 30 metros  de diâmetro. Atualmente  a obra  está  quase toda encoberta devido a à erosão natural.

Veja o Vídeo

 

 

 

Exposição de  Felipe Fittipaldi  – MORADA DO CABOCLO – 20 de julho Visita Guiada

Exposição de Felipe Fittipaldi – MORADA DO CABOCLO – 20 de julho Visita Guiada

MORADA DO CABOCLO

Sexta feira dia 20 de julho das 17:00  até  19:00  Visita Guiada.

CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

Av. Rio Branco 241 – Centro – Rio de Janeiro

Gabinete de Fotografia

Visitação – 13 de junho à 5 de agosto

Terça a domingo, das 12h às 19h 

Com curadoria de Marco Antonio Portela, a exposição traz para o CCJF, 20 fotografias entre quadros e impressões em tecido, além de um filme/projeção.

O ensaio é um estudo imagético sobre o atual contexto das populações tradicionais do semiárido baiano diante do êxodo juvenil e da modernizacão, que se materializa no isolamento dos seus membros incapazes de incorporar novas práticas contemporâneas.  

A série foi premiada na Holanda pelo LensCulture Emerging Talents e chamou a atenção de Katerina Stathopoulou, curadora do MoMA, que selecionou, pelo Life Framer Awards, uma das imagens para exposições em galerias em Tokyo, Nova Iorque e Roma. Além das prêmiações: Centro Cultural São Paulo, CCSP – Mostra Individual 2017, POY Latam Awards, Paraty em Foco 2017 e Foto em Pauta 2017.

MORADA DO CABOCLO

A dinâmica populacional do meio rural no interior da Bahia tem sido marcada pela drástica diminuição da população, principalmente nos últimos 50 anos. O envelhecimento populacional é intensificado pelo êxodo seletivo dos jovens, fenômeno social que marca o período mais recente. 

A falta de perspectiva e a recém chegada infraestrutura no campo, assim como novas tecnologias, possibilitaram uma transformação cultural profunda. A nova geração, agora conectada a novas referências, tende a migrar em busca de oportunidades longe do isolamento e do trabalho árduo na terra. Grande parte da nova geração deseja a inserção na sociedade de classe urbana e contemporânea, como proletário e morador da periferia da cidade, seja ela pequena ou grande.

Diante desse esvaziamento, a velha geração que fica, talvez seja a última representante da cultura tradicional, permeando a sobrevivência longe de seus herdeiros que partiram. Nessa dificuldade de convergência entre o antigo e o novo, muitos escolhem permanecer em seus lugares de origem, perpetuando a relação, mesmo que sozinhos, com seu universo físico e simbólico.

Sobre o autor:

Nascido em 1982, Felipe Fittipaldi é um fotógrafo carioca dedicado a projetos pessoais relacionados a questões sociais e ambientais. Bacharel em jornalismo e pós-graduado em Comunicação e Imagem, atualmente colabora com algumas das principais publicações de notícias nacionais e internacionais, como El País, Editora Abril e National Geographic. Já foi contemplado com prêmios nacionais e internacionais como Lens Culture. Life Framer e POY Latam. Em 2018 foi selecionado pela World Press Photo Foundation – 6×6 Global Talent Program.

www.felipefittipaldi.com

https://www.instagram.com/felipe.fittipaldi/

HP lança o estado da arte em impressora fine art de grande formato.

HP lança o estado da arte em impressora fine art de grande formato.

 

BERLIN, 15 de maio de 2018 – A HP revelou sua nova série de impressoras DesignJet Z na FESPA Global Print Expo para mostrar tecnologias inovadoras de grande formato que oferecem qualidade de imagem incrível e impressão  simples e rápida.

O mercado de grande de impressão Fine art fotográfica cresceu 7% em 2017, com cerca de 1,3 trilhão de fotos tiradas em 2017. A demanda por simplicidade e qualidade inigualável de fotos está crescendo.

 

A nova série de impressoras HP DesignJet Z6 e Z9  foi projetada para maximizar com facilidade o desempenho de impressão para uma incrível qualidade de  fotos. Ao integrar hardware e software,  as novas impressoras oferecem inigualável  permanência.

O resultado é uma impressão 2,5 vezes mais rápida.

 

 

 

A nova série de impressoras DesignJet Z melhoram radicalmente a experiência do cliente e reinventa as possibilidades de impressão profissional.
Diferenciais e Tecnologias

Tecnologi HP Pixel Control: Obtenha impressões realistas e uma gama de cores expandida com tintas de foto RGB HP Vivid, com vermelho cromático, verde cromático e azul cromático, o espectrofotômetro incorporado. O HP Pixel Control é uma explosão  de cores digitais é  projetado para oferecer uma qualidade de imagem excepcional e consistente, controlando cada pixel pronto para impressão. Com essas tecnologias  os usuários obtêm uma incrível qualidade de imagem com apenas nove tintas, em comparação as 12 da HP DesignJet da geração anterior.

Tecnologia Dual-Drop: Produz impressões com detalhes nítidos e cores de alto contraste com a tecnologia dual-drop alimentada pela HP Nozzle Architecture (HDNA) e cabeças de impressão de alta definição. A HP DesignJet Z9 +apresenta uma configuração ajustável  para uma maior saída de brilho.

Durabilidade interna e externa: Crie impressões com pigmento altamente estável. As tintas HP Vivid Photo fornecem impressões resistentes à água e resistentes ao desbotamento para exibição interna de longo prazo e, quando impressas em mídia resistente à água adequada, tela externa. As tintas HP Vivid Photo proporcionam  garantia de que as impressões durarão  muito tempo.

As impressoras têm novas cabeças de impressão e formulação de tinta vermelha cromática para fornecer detalhes precisos e qualidade de linha precisa. Modos de impressão rápidos e normais otimizados para revestimentos pesados, polipropileno e Canvas  para acelerar a produção e aprimorar a qualidade da imagem. Por fim, as novas impressoras terão HDD de 500 GB com mais memória virtual para processar impressões complexas e gráficas intensivas.

A HP oferece uma ampla variedade de mídias inovadoras, incluindo a nova:

O Canvas  de cetim reciclado da HP é uma tela resistente a rachaduras de 370 g / m2, de 17,4 mícrons, para tintas aquosas da HP, feita com 100% de garrafas de água recicladas, tornando-a a primeira do tipo no portfólio de mídia para grandes formatos HP.

HP Everyday Blockout Display Film com uma construção exclusiva de três camadas de filme de polipropileno, poliéster e polipropileno para uma flexibilidade adicional e propriedades de lay flat superiores. O filme HP Everyday Blockout Display é um filme mais espesso em comparação com 100% de poliéster, custa menos e possui um revestimento para a tecnologia de tinta dupla.

 

Vídeos Youtube

Apresentando novas famílias de Impressoras Fine Art

Tecnologia Pixel Control

Tecnologia V-Trimmer

Tecnologia HDNA

Pin It on Pinterest