Exposição : Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira – 18 AGO – 16 SET 2018 – Parque Lage  – RJ

Exposição : Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira – 18 AGO – 16 SET 2018 – Parque Lage – RJ

 

História da Exposição

“A diferença é um dos fundamentos do queer, termo de origem pejorativa que teve seu significado transformado nos anos 1980 na luta por direitos civis e movimentos LGBTQIA+. Desde então, queer passou a designar a diversidade e o direito a uma existência fora da norma.”

“Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira” explora a expressão e identidade de gênero, a diversidade e a diferença na arte brasileira por meio de um conjunto de obras que percorrem um arco histórico de meados do século XX até a atualidade. A exposição reúne 264 obras de 85 artistas, dentre eles: Adriana Varejão, Alfredo Volpi, Bia Leite, Cândido Portnari, Cibelle Cavalli Bastos, Leonilson, Lygia Clark, Pedro Américo, Roberto Cidade e Sidney Amaral. Provenientes de coleções públicas e privadas, as obras são igualmente representativas da diversidade estética, geográfica e geracional da produção artística do Brasil.

Em sua primeira apresentação realizada no espaço Santander Cultural, em Porto Alegre, a exposição sofreu uma campanha difamatória em redes sociais de grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL), na qual seus participantes afirmavam que a exposição fazia apologia à pedofilia, pornografia e à zoofilia, além de desrespeito à figura religiosa, por isso ameaçaram boicotar o Banco Santander, que cancelou a exposição. Todas as acusações foram desmentidas pelo Ministério Público Federal, que se manifestou afirmando não haver crime de qualquer espécie tendo recomendado a imediata reabertura da exposição, que não aconteceu.

A exposição seria, então, realizada no Rio de Janeiro, pelo Museu de Arte do Rio (MAR), porém foi censurada por Marcelo Crivella, prefeito da cidade, que declarou em um vídeo que a exposição só aconteceria se fosse “no fundo do mar”.

“Queermuseu se propunha a ser um museu provisório, de caráter metafórico, cujo objetivo é propiciar um campo de investigação sobre o caráter patriarcal e heteronormativo do museu como instituição ao fazê-lo constituir uma plataforma de experiência para exercitar o pensamento de outra forma, ou seja, pensar fora da norma”. Segundo o curador da mostra, Gaudêncio Fidelis, “é uma exposição fundada na democracia e na visão de um processo de inclusão”.

A Queermuseu no Parque Lage

– O maior financiamento coletivo do Brasil

A fim de contrariar a censura imposta, o Parque Lage realizou uma campanha de financiamento coletivo, na qual bateu recorde de maior campanha realizada no Brasil, chegando a marca de mais de 1 milhão de reais e 1678 de participantes.

Inicialmente meta foi fixada em 690.000 reais, após essa primeira etapa a meta foi aumentada mais 2 vezes: a segunda em 890.000 reais e a terceira em 1.000.000 reais, que foi ultrapassada por 81.176 reais, acarretando na ampliação do projeto. Alcançou-se o objetivo para reforma das Cavalariças do Parque Lage, onde ficará hospedada a exposição.

Como recompensa para os apoiadores do financiamento coletivo, foram oferecidos diversos benefícios, dentre eles, camisa com o tema “Quanto mais Queer melhor”, catálogos, obras e múltiplos cedidos gratuitamente pelos artistas: Rosângela Rennó, Nino Cais, Marcos Chaves, Matheus Rocha Pitta, Paulo Bruscky, Guto Lacaz e Carla Chaim.

Conheça o site do financiamento coletivo:
benfeitoria.com/queermuseu

Clique aqui e conheça a lista de nomes dos apoiadores.

– Levante Queremos Queer

Além da campanha realizada pela plataforma Benfeitoria, o Parque Lage ofereceu o Levante Queremos Queer, em fevereiro de 2018, evento realizado em parceria com Dyonne Boy (coordenadora executiva do Jongo da Serrinha) e Julio Barroso (agitador cultural e integrante do Ocupa Carnaval), que contou com programação infantil, debates e música oferecida por diversos grupos, como Afoxé Filhos de Gandhi e Bateria da Mangueira. Em maio do mesmo ano será realizado um novo evento Levante Queer, com uma nova programação para o sábado dia 26.

Saiba mais sobre a programação do Levante Queremos Queer:
eavparquelage.rj.gov.br/levante-queremos-queer

– #mariellepresente e show Caetano contra Censura

O assassinato da vereadora da cidade do Rio de Janeiro, Marielle Franco, mulher, negra e homossexual, em 14 de março de 2018, como uma triste coincidência, antecedeu o show “Caetano contra Censura”, realizado no dia seguinte no Parque Lage, a fim de dar início ao leilão de obras para financiamento da exposição. O leilão se deu de forma silenciosa como de luto e protesto e as obras foram vendidas não no momento, mas durante a semana para os presentes no leilão.

– A queermuseu e a judicialização da arte
A EAV Parque Lage promoveu, no dia 18/05, o debate “A Queermuseu e a Judicialização da Arte no Brasil”, reunindo cinco experts da área jurídica para debater a censura da exposição Queermuseu. A conversa sobre direitos constitucionais, arte e cultura contou com a presença de Fabio Szwarcwald (diretor da EAV), Marcelo Viveiros de Moura, Daniel Sarmento, Deborah Duprat, Joaquim Falcão, Nélio Machado e mediação de Demian Guedes.

Saiba mais sobre a programação desse evento:
eavparquelage.rj.gov.br/queermuseu-judicializacao-da-arte

– Levante Queer

No Sábado dia 26 de maio, ocorreu a segunda edição do Levante. A programação fez parte da plataforma curatorial da exposição Queermuseu no Parque Lage. Um grande movimento contra a censura e a intolerância, dando voz às mais diversas manifestações artísticas brasileiras.

O dia seguiu embalado por apresentações de grupos ligados à cultura popular, como o Afoxé Filhos de Gandhi e o Carimbloco. A bateria mirim da Grande Rio também integrou a programação, que contou ainda com Tyaro Maya, Chico Chico, Duda Brack, Caio Prado e outros. O Levante Queer teve produção da Escola de Artes Visuais do Parque Lage em parceira com Julio Barroso (produtor cultural, integrante do Ocupa Carnaval) e Dyonne Boy (coordenadora executiva do Jongo da Serrinha).

A partir das 14h, após introdução do diretor da EAV, Fabio Szwarcwald, e do curador Ulisses Carrilho, começaram os debates, no Salão Nobre. A primeira mesa, com o tema ‘periferia ocupa’, teve mediação de Julio Barroso (segue abaixo programação completa com os integrantes). A segunda, mediada por Carrilho, discorreu sobre as narrativas queer.

Saiba mais sobre a programação do Levante Queer:
eavparquelage.rj.gov.br/levante-queer

– Produção Queermuseu no Parque Lage

Com o sucesso da campanha, as reformas nas Cavalariças do Parque Lage já foram iniciadas para abrigar a exposição, que tem como previsão de abertura meados de agosto de 2018.

Será adotada uma postura institucional responsável em relação aos diferentes públicos com sua programação e, por isso, serão aplicadas as orientações previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Nova temporada de Arte na Fotografia 

Nova temporada de Arte na Fotografia 

A nova temporada de Arte na fotografia selecionou 6 participantes entre mais de 400 inscritos de todo país.

Os fotógrafos participantes são: Nicole Zabukas (21 anos – São Bernardo – SP), Fred Gustavos (31 anos – Cuiabá – MT), Nego Júnior (38 anos – São Paulo – SP), Maria Isabel (28 anos – mineira que mora no Rio de Janeiro), Leonil Junior (22 anos – Joanópolis – SP) e Maíra Erlich (31 anos – Pernambucana, mora em São Paulo).

A nova temporada terá convidados renomados, provas desafiadoras e muitos surpresas. Segundo a produção, o processo de seleção dos participantes foi criterioso.

Uma das novidades é que as provas terão um aspecto mais interativo. Já que preveem a participação dos espectadores nas redes sociais. Com direito a desafios fotográficos também para quem assiste ao reality.

A próxima temporada do Arte na Fotografia estreia no dia 3 agosto no canal (pago) Arte 1 às 20:30, mas sempre com reprises na internet. http://canalarte1.com.br/  

PandoraPix – estúdio de impressão fine art certificado – RJ

PandoraPix – estúdio de impressão fine art certificado – RJ

VER O VIDEO

A PandoraPix é um estúdio de impressão fine art certificado pela Hahnemühle no Rio de Janeiro.

Estamos em Laranjeiras e atendemos em nosso estúdio : galerias, museus, fotógrafos, artistas, designers,
curadores, produtores, arquitetos, amantes da imagem e demais profissionais do mercado de arte.

Nossa produção abrange desde caixas de portfolio até exposições completas, imprimindo em
diversos suportes (papel, canvas,, metacrilato).

Nossas impressões são feitas seguindo padrões museológicos, em papel de algodão Hahnemuhle, Canson
e Awagami que garantem durabilidade de até 250 anos.

Utilizamos materiais de PH neutro, monitores calibrados, impressoras HP Designjet Z3200PS,
com 12 cores de pigmento mineral considerada a melhor e mais moderna impressora para impressões Fine Art.

Somos os únicos no Rio de Janeiro que fazemos certificado numerado e com selo holográfico para as obras.
Enviamos anexo gratuitamente uma obra e seu respectivo certificado para ilustração.

Auxiliamos a realização de projetos de exposição, fazemos tratamento de imagens e interpretação com
o autor ajudando a decidir a melhor mídia para cada trabalho.

Todo o processo supervisionado por profissionais com experiência no ramo de Impressões, ampliações fotográficas, e tratamento de imagem.

Cuidamos com excelência da sua impressão, oferecemos atendimento personalizado e com hora marcada, para quevocê tenha a maior atenção e a garantia da melhor qualidade final do trabalho.

A PandoraPix é a sua nova opção de ateliê de impressão fine art no Rio de Janeiro.

Conte conosco!

Agende sua visita.

www.pandorapix.com

Laranjeiras – RJ

21 3283 8000

 

Instantes Cruzados – Milton Guran

Instantes Cruzados – Milton Guran

Veja o Vídeo

A fotografia ganha uma sensacional série documental que estreia terça-feira, dia 12, no Canal Curta!, às 23:30.

Sob o título Instantes Cruzados, revisita algumas das imagens mais emblemáticas da fotografia brasileira por uma releitura pelo olhar de fotógrafos contemporâneos.

A cada episódio o fotógrafo e antropólogo Milton Guran, apresentador da série, convida um fotógrafo contemporâneo consagrado a fazer uma imagem que dialogue com uma imagem que tenha marcado a história da fotografia no país, a partir de um desafio que eles enfrentam: transpor para os nossos dias o essencial do que foi representado na imagem de referência. O programa estreia com duas lendas vivas da fotografia: Evandro Teixeira e Marcia Foletto.

O curta! é sintonizado nos canais 56 da NET, 132 na GVT, 76 na Oi TV, 664 na Vivo TV e 69 na Claro TV. Quem perder a estreia tem as reprises: quarta-feira às 17h 30, quinta-feira às 11h30 e sábado às 21h30.

 

-1:37

Exposição de  Felipe Fittipaldi  – MORADA DO CABOCLO – 20 de julho Visita Guiada

Exposição de Felipe Fittipaldi – MORADA DO CABOCLO – 20 de julho Visita Guiada

MORADA DO CABOCLO

Sexta feira dia 20 de julho das 17:00  até  19:00  Visita Guiada.

CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL

Av. Rio Branco 241 – Centro – Rio de Janeiro

Gabinete de Fotografia

Visitação – 13 de junho à 5 de agosto

Terça a domingo, das 12h às 19h 

Com curadoria de Marco Antonio Portela, a exposição traz para o CCJF, 20 fotografias entre quadros e impressões em tecido, além de um filme/projeção.

O ensaio é um estudo imagético sobre o atual contexto das populações tradicionais do semiárido baiano diante do êxodo juvenil e da modernizacão, que se materializa no isolamento dos seus membros incapazes de incorporar novas práticas contemporâneas.  

A série foi premiada na Holanda pelo LensCulture Emerging Talents e chamou a atenção de Katerina Stathopoulou, curadora do MoMA, que selecionou, pelo Life Framer Awards, uma das imagens para exposições em galerias em Tokyo, Nova Iorque e Roma. Além das prêmiações: Centro Cultural São Paulo, CCSP – Mostra Individual 2017, POY Latam Awards, Paraty em Foco 2017 e Foto em Pauta 2017.

MORADA DO CABOCLO

A dinâmica populacional do meio rural no interior da Bahia tem sido marcada pela drástica diminuição da população, principalmente nos últimos 50 anos. O envelhecimento populacional é intensificado pelo êxodo seletivo dos jovens, fenômeno social que marca o período mais recente. 

A falta de perspectiva e a recém chegada infraestrutura no campo, assim como novas tecnologias, possibilitaram uma transformação cultural profunda. A nova geração, agora conectada a novas referências, tende a migrar em busca de oportunidades longe do isolamento e do trabalho árduo na terra. Grande parte da nova geração deseja a inserção na sociedade de classe urbana e contemporânea, como proletário e morador da periferia da cidade, seja ela pequena ou grande.

Diante desse esvaziamento, a velha geração que fica, talvez seja a última representante da cultura tradicional, permeando a sobrevivência longe de seus herdeiros que partiram. Nessa dificuldade de convergência entre o antigo e o novo, muitos escolhem permanecer em seus lugares de origem, perpetuando a relação, mesmo que sozinhos, com seu universo físico e simbólico.

Sobre o autor:

Nascido em 1982, Felipe Fittipaldi é um fotógrafo carioca dedicado a projetos pessoais relacionados a questões sociais e ambientais. Bacharel em jornalismo e pós-graduado em Comunicação e Imagem, atualmente colabora com algumas das principais publicações de notícias nacionais e internacionais, como El País, Editora Abril e National Geographic. Já foi contemplado com prêmios nacionais e internacionais como Lens Culture. Life Framer e POY Latam. Em 2018 foi selecionado pela World Press Photo Foundation – 6×6 Global Talent Program.

www.felipefittipaldi.com

https://www.instagram.com/felipe.fittipaldi/

HP lança o estado da arte em impressora fine art de grande formato.

HP lança o estado da arte em impressora fine art de grande formato.

 

BERLIN, 15 de maio de 2018 – A HP revelou sua nova série de impressoras DesignJet Z na FESPA Global Print Expo para mostrar tecnologias inovadoras de grande formato que oferecem qualidade de imagem incrível e impressão  simples e rápida.

O mercado de grande de impressão Fine art fotográfica cresceu 7% em 2017, com cerca de 1,3 trilhão de fotos tiradas em 2017. A demanda por simplicidade e qualidade inigualável de fotos está crescendo.

 

A nova série de impressoras HP DesignJet Z6 e Z9  foi projetada para maximizar com facilidade o desempenho de impressão para uma incrível qualidade de  fotos. Ao integrar hardware e software,  as novas impressoras oferecem inigualável  permanência.

O resultado é uma impressão 2,5 vezes mais rápida.

 

 

 

A nova série de impressoras DesignJet Z melhoram radicalmente a experiência do cliente e reinventa as possibilidades de impressão profissional.
Diferenciais e Tecnologias

Tecnologi HP Pixel Control: Obtenha impressões realistas e uma gama de cores expandida com tintas de foto RGB HP Vivid, com vermelho cromático, verde cromático e azul cromático, o espectrofotômetro incorporado. O HP Pixel Control é uma explosão  de cores digitais é  projetado para oferecer uma qualidade de imagem excepcional e consistente, controlando cada pixel pronto para impressão. Com essas tecnologias  os usuários obtêm uma incrível qualidade de imagem com apenas nove tintas, em comparação as 12 da HP DesignJet da geração anterior.

Tecnologia Dual-Drop: Produz impressões com detalhes nítidos e cores de alto contraste com a tecnologia dual-drop alimentada pela HP Nozzle Architecture (HDNA) e cabeças de impressão de alta definição. A HP DesignJet Z9 +apresenta uma configuração ajustável  para uma maior saída de brilho.

Durabilidade interna e externa: Crie impressões com pigmento altamente estável. As tintas HP Vivid Photo fornecem impressões resistentes à água e resistentes ao desbotamento para exibição interna de longo prazo e, quando impressas em mídia resistente à água adequada, tela externa. As tintas HP Vivid Photo proporcionam  garantia de que as impressões durarão  muito tempo.

As impressoras têm novas cabeças de impressão e formulação de tinta vermelha cromática para fornecer detalhes precisos e qualidade de linha precisa. Modos de impressão rápidos e normais otimizados para revestimentos pesados, polipropileno e Canvas  para acelerar a produção e aprimorar a qualidade da imagem. Por fim, as novas impressoras terão HDD de 500 GB com mais memória virtual para processar impressões complexas e gráficas intensivas.

A HP oferece uma ampla variedade de mídias inovadoras, incluindo a nova:

O Canvas  de cetim reciclado da HP é uma tela resistente a rachaduras de 370 g / m2, de 17,4 mícrons, para tintas aquosas da HP, feita com 100% de garrafas de água recicladas, tornando-a a primeira do tipo no portfólio de mídia para grandes formatos HP.

HP Everyday Blockout Display Film com uma construção exclusiva de três camadas de filme de polipropileno, poliéster e polipropileno para uma flexibilidade adicional e propriedades de lay flat superiores. O filme HP Everyday Blockout Display é um filme mais espesso em comparação com 100% de poliéster, custa menos e possui um revestimento para a tecnologia de tinta dupla.

 

Vídeos Youtube

Apresentando novas famílias de Impressoras Fine Art

Tecnologia Pixel Control

Tecnologia V-Trimmer

Tecnologia HDNA

Ryan McGinley

Ryan McGinley

Ryan McGinley 1977  é um fotógrafo americano que vive em Nova York.  começou a fotografar em 1998. Em 2003, aos 25 anos, ele foi um dos artistas mais jovens a fazer uma exposição individual no Whitney Museum of American Art.

Ele também foi nomeado Fotógrafo do Ano em 2003 pela American Photo Magazine. Em 2007, McGinley foi premiado com o Young Photographer Infinity Award pelo International Center of Photography.

Patricia Gouvêa apresenta “Sobrevida” na Galeria Mercedes Viegas.

Patricia Gouvêa apresenta “Sobrevida” na Galeria Mercedes Viegas.

Em sua primeira exposição individual na Galeria Mercedes Viegas, a artista visual Patricia Gouvêa apresenta Sobrevida, série inédita com 16 trabalhos em fotografia, 2 vídeos e 2 objetos. Os trabalhos que integram a série foram realizados entre 2017 e 2018 em localidades do Estado do Amazonas,—a Reserva Adolpho Ducke do INPA (Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas) durante a residência LABVERDE; o Parque Nacional de Anavilhanas; a cidade de Presidente Figueiredo—assim como em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro, em São Paulo e nos Estados Unidos. Sobrevida relaciona as possibilidades da natureza resistir, tanto nos locais onde supostamente os ecossistemas são “preservados”, quanto nas pequenas frestas das cidades onde—apesar do cimento—teimam em operar pequenos milagres. Até 16 de junho.

Fotógrafos Viajantes

Fotógrafos Viajantes

Depois de uma viagem a bagagem sempre volta mais cheia, seja de lembrancinhas do destino ou de fotos que lotam o cartão de memória. Na era digital, muitas pessoas compartilham as imagens nas redes sociais, salvam os arquivos nos dispositivos e nunca mais os acessam.

Uma das melhores maneiras de estar sempre em contato com os cliques capturados durante uma viagem é fazer dessas fotografias belos quadros para enfeitar a casa ou escritório. Afinal, transformar momentos felizes em obras de arte, que estarão presentes nos locais corriqueiros, faz com que você não se esqueça do que viveu durante aqueles dias.

A impressão de quadros em alta definição, com o tipo de acabamento e dimensão de sua preferência, faz com que uma fotografia vire uma obra de arte. E se você preferir emoldurar fotos de lugares distantes na parede de casa, talvez isso te faça querer desbravar mais o mundo, e sirva como incentivo para descobrir maravilhas por aí.

O casal Bolzani, por exemplo, é fã de viagens e não deixa de eternizar os melhores momentos através da lente de uma boa câmera. Ex executivos, eles trocaram o estresse do mundo corporativo para viajar e não se arrependem. Após alguns países visitados criaram o Suas Próximas Viagens, onde compartilham textos e fotos com as melhores dicas sobre os destinos.

Para eles, eternizar momentos através das fotos é uma forma de guardar memórias e apreciar os lugares conhecidos. Prova disso, são os posts no blog repletos de cliques fantásticos, que fazem a gente querer embarcar no primeiro avião para poder contemplar de perto o cenário.

Um dos posts mais acessados do blog é o do Deserto do Atacama, que está repleto de fotos incríveis que demonstram a beleza do lugar. Entre as imagens, encontram-se capturas dos passeios mais famosos do Atacama, como o Salar de Tara e Piedras Rojas.

As fotos são tão bonitas que merecem ser compartilhadas, não só na internet, mas também através de quadros expostos nos mais diversos cômodos da casa ou escritório. Até porque, escrever artigos para conteúdo online com belos quadros ao redor inspira muito mais, além de dar mais fôlego para continuar produzindo.

Uma foto pode muito bem contar uma história. É um storytelling completo em apenas uma imagem. Ela pode retratar a felicidade do momento, a perfeição da paisagem, os detalhes de um lugar ou destacar as características físicas de alguém. Eternizar momentos em imagens e, também, transformá-las em quadros demonstra a importância que aquele clique tem, o quão valioso aquela memória é.

Postar fotos online, em redes sociais, é uma alternativa cômoda de criar uma galeria móvel de imagens, que facilita a interação com as mais diversas pessoas, porém, quem opta por torná-las quadros valoriza a lembrança. Além disso, ao mesmo tempo que aquele que expõe um pouco do que é importante em uma parede de um cômodo, também demonstra como era a realidade dos saudosos dias. Ou apenas se apaixonou pela foto e decidiu torna-la obra de arte.

Uma sugestão para quem quer ter quadros de fotos de viagens em casa é fazer um pequeno moral, com os cliques de diferentes destinos, para lembrar que o mundo é grande e há muito o que ver, fotografar e enquadrar. Não esqueça também que, para ter uma viagem mais tranquila, a informação é primordial, por isso, confira as dicas do Suas Próximas Viagens.

 

 

Abertas inscrições para o Grand Prix Fotofestiwal 2018 – Polônia.

Abertas inscrições para o Grand Prix Fotofestiwal 2018 – Polônia.

Estão abertas as inscrições para o Grand Prix Fotofestiwal 2018, convocatória do festival de fotografia que será realizado durante o mês de junho do ano que vem em Łódź, na Polônia.

A participação é aberta a fotógrafos profissionais e amadores de qualquer nacionalidade e faixa etária.

As inscrições podem ser feitas até 26 de novembro de 2017 através do site.

Cada participante pode enviar um ou dois projetos com 10 a 20 fotos (fotos únicas ou série).

A taxa de inscrição é de 25 euros para cada projeto enviado. Leia o regulamento.

O vencedor receberá um prêmio em dinheiro no valor de R$ 9.000).

Os 10 finalistas terão seus trabalhos expostos durante o festival em Łódź, que recebe mais de 20 mil espectadores anualmente.

Aberta Convocatória do Festival de la Luz – Argentina – 2018

Aberta Convocatória do Festival de la Luz – Argentina – 2018

Estão abertas as inscrições para a convocatória do XX Encuentros Abiertos – Festival de la Luz 2018, que vai selecionar trabalhos fotográficos para uma série de exposições que acontecerão por toda a Argentina entre agosto e setembro do ano que vem. Essa edição do festival tem como tema “Por la Vida”.

Podem participar fotógrafos e coletivos de qualquer nacionalidade, sem limite de quantidade de projetos. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de outubro através do e-mail produccion@encuentrosabiertos.com.ar.

Os participantes devem enviar entre 10 e 40 fotos acompanhadas de dados pessoais, currículo e texto descritivo do trabalho.

As propostas serão avaliadas por um Comitê de Seleção composto por Elda Harrington, Silvia Mangialardi e Frank Rodick.

O resultado será anunciado em março de 2018 e os trabalhos selecionados deverão ser entregues emoldurados e prontos para serem pendurados.

 

Acesse o site para mais informações.

Exposição Natureza Concreta – Curadoria de Mauro Trindade

Exposição Natureza Concreta – Curadoria de Mauro Trindade

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 9 de setembro a 12 de novembro de 2017, a exposição NATUREZA CONCRETA, que discute e aprofunda um tema de interesse permanente na arte, na ciência e na filosofia: as relações dos seres humanos com a natureza e o mundo que os cerca. Entre fotografias, vídeos e instalações em formatos variados, serão apresentadas 94 obras de 17 artistas e grupos brasileiros. O projeto tem curadoria de Mauro Trindade e patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

Participam da exposição: Alexandre Sant’Anna, Ana Quintella & Talitha Rossi, Ana Stewart, Bruno Veiga, Cássio Vasconcellos, Claudia Jaguaribe, Gilvan Barreto, Greice Rosa & Grupo A CASA, Hugo Denizard, Iatã Cannabrava, José Diniz, Luiz Baltar, Marco Antonio Portela, Pedro Motta, Rogério Faisal e Rogério Reis. Em todos, há uma preocupação permanente com a relação entre o homem e o meio ambiente, um tema cada vez mais redescoberto na fotografia contemporânea e que se volta para as próprias origens da arte fotográfica.

Os trabalhos oferecem a oportunidade de se discutir temas como cidades, habitação, mobilidade, ecologia e sustentabilidade, economia e tecnologia, e história e transcendência, sempre colocando o ser humano em perspectiva. “Através das obras de alguns dos maiores nomes da fotografia contemporânea brasileira, a exposição Natureza Concreta propõe uma ampla reflexão a respeito dos limites entre natureza e cultura, objetividade e subjetividade. Os trabalhos operam em um campo ampliado da fotografia, que inclui impressões em materiais variados, vídeos e instalações”, comenta o curador Mauro Trindade.

Na exposição, o público poderá conferir, por exemplo, as fotos inéditas de Alexandre Sant’Anna que renovam o olhar sobre a Amazônia, superando o modelo exótico e colorido da região; as imagens noturnas de Cássio Vasconcellos, reveladoras da serialização da sociedade contemporânea; a série Quando Eu Vi – Bibliotecas, de Claudia Jaguaribe, que propõe uma revisão do conceito de paisagem natural; a série Parques, de Rogério Faisal, que confronta o vazio urbano; e as imagens de pacientes psiquiátricos e travestis de Hugo Denizard.

 

Atividades extras:

No dia 16 de setembro (sábado), às 15h, o curador Mauro Trindade realiza uma visita guiada aberta ao público, com lançamento do catálogo da exposição.

E no dia 28 de outubro (sábado), às 15h, o curador e alguns artistas recebem o público para um bate-papo gratuito. Os ingressos para esta atividade serão distribuídos 30 minutos antes na bilheteria da CAIXA Cultural

Onde:

Av. Almirante Barroso, 25 – Centro
Rio de Janeiro
(21) 3980-3815
Rock in Rio,  Galeria Movimento  e  PandoraPix.

Rock in Rio, Galeria Movimento e PandoraPix.

Em pleno dia mundial do rock a nova Cidade do Rock recebeu 5 dos maiores grafiteiros do país:  Toz, Tinho, Mateu Velasco, Ramon Martins e BR Bogossian que levam seu talento e suas cores aos contêineres que farão parte da cenografia do palco StreetDance no Rock in Rio.

A curadoria é de Ricardo Kimaid Jr da Galeria Movimento,  e a PandoraPix vai produzir   200 impressões  Fine Art dessa intervenção que terão um certificado  numerado e assinados pelos artistas.

As obras  fazem parte do projeto “Arte por um mundo melhor”   e serão vendidas durante o Rock in Rio,  a receita resultante dessa venda será revertida para o Amazonia Live, projeto socioambiental do Rock in Rio, para o plantio de árvores.

 

 

Exposição Solotransição de Xico Chaves na galeria Movimento

Exposição Solotransição de Xico Chaves na galeria Movimento

Solotransição, título dado por Xico Chaves à sua primeira exposição em galeria particular desde 1989, é esclarecedor já que aponta não somente para as transformações ocorridas em seu trabalho neste período , como também para a consolidação do eixo poético que nucleia seu processo criativo.

O trabalho de Xico Chaves vem se desenvolvendo desde os primórdios dos anos 70 em torno de questões recorrentes como o interesse pela experimentação de linguagens e meios técnicos de natureza diversa. Mas ao lado dessa vertente experimental voltada para a reconstrução poética da vida contemporânea por meio de ações multimidiáticas, Xico vem produzido pinturas e objetos cujo silêncio difere da ruidosa fricção entre arte, palavra e mídias técnicas tão característica de sua obra.

Tal polarização entre o silencio de um ofício ancestral, como a pintura, e a articulação narrativa da crítica política e ideológica aos meandros obscuros do poder institucionalizado − por meio de interlocução alternativa com a cultura popular urbana brasileira − configura, esclarece e justifica a liberdade de Xico ao editar poesia e visualidade, tecnologia e artesanato, articulando-os em rede.
.
Há, portanto, uma contiguidade coerente entre o fazer manual da pintura e o apreço de Xico pela potência temático –semântica das novas tecnologias da imagem (da fotografia à computação). Característica que nos permite afirmar que o núcleo investigativo de qualquer obra de Chaves resulta do afloramento crítico do que os discursos sobre a arte e a sociedade costumam velar

Toda a pintura do artista, desde as séries mais antigas – como as da Nova Matéria, da década de 80 − às mais recentes – como as da série The Big Bang (2017) foi produzidacom minerais, pigmentos naturais e resina acrílica com o intuito de tornar visíveis os materiais de que são feitas, de trazer à superfície da Terra, suas entranhas. Há aqui, sobretudo, a intenção de revelar essa potência invisível (posto que oculta) pelo simples ato de trazê-la à luz tornando-a aparente (e acessível ao olhar).

Tais pinturas e objetos, portanto, não buscam seu sentido nem na palavra, nem na imagem figurada, mas no teor semântico inerente aos materiais neles utilizados. Expostos numa ordenação compositiva mínima estes materiais parecem evocar simbolicamente um âmbito fundamental e permanente (mas não ontológico) que precede, e sobreviverá por milênios ao contexto histórico em que vivemos e onde hoje Xico decisivamente atua.

Por estas razões, a despeito parecerem abstratos, esses trabalhos podem ser tomados, inversamente, como âncoras poéticas do processo criativo experimental de Xico Chaves.

Fernando Cocchiarale

curadoria: Fernando Cocchiarale e Lais Denise Santana

NFORMAÇÕES DE CONTATO ADICIONAIS
contato@galeriamovimento.com
www.galeriamovimento.com
Av. atlantica 4240 – 212 e 213
Rio de Janeiro
(21) 2267-5989
Exposição do fotógrafo Demian Jacob

Exposição do fotógrafo Demian Jacob

Abertura da exposição do fotógrafo Demian Jacob e curadoria de Joaquim Paiva e Marcos Bonisson. Esta exposição é resultado da primeira edição do Prêmio Ateliê da Imagem de Fotografia,

O trabalho Devaneios se manifesta a partir de uma poética espacial, por diferentes vertentes, seja no exercício de ordenação ou na tentativa de refletir o mundo ao redor.

Uma constelação de signos visuais em rotação, quase-filme, quase-livro. Uma pesquisa que se desenvolve no cotidiano, seres presentificados pela sua ausência.

Através da pele das coisas, atitudes se tornam formas. Capturas feitas entre o início de 2014 e o final de 2016, com negativo 35mm, em fluxo, a maioria das vezes com uma câmera no automático.

Demian jacob é artista visual brasileiro do Rio de Janeiro, formado em Geografia e Meio Ambiente na PUC- Rio e Pós graduado em Fotografia memória e Comunicação pela UCAM, durante a gradução

frequentou vários cursos de fotografia arte e design. Em 2015 formou-se em fotografia grande formato pelo ICP-NY, paralelamente ao curso trabalhou com fotógrafos como Marcelo Gomes em Nova Iorque.

Recentemente teve a série de polaroide “Objetos Deslizantes” selecionada para fazer parte da coleção do Museu de Arte do Rio – MAR.

Seu trabalho tem ênfase na percepção de uma nova paisagem e relação do homem com o espaço geográfico. Usando sempre os recursos da fotografia revelando seus próprios negativos, usando a Polaroid e

o super8 filme desenvolve pesquisas em diferentes áreas.

http://www.demianjacob.com/

Rumos Itaú Cultural 2017-2018

Rumos Itaú Cultural 2017-2018

Projeto tem  cerca de R$ 15 milhões para Projetos, o Itaú Cultural abriu  as inscrições para o Rumos 2017-2018, edital público de fomento à produção e à difusão de trabalhos de artistas, produtores e pesquisadores brasileiros.

As inscrições para essa  edição  vai  até 3 de novembro, exclusivamente pelo  site rumositaucultural.org.br. O resultado será anunciado até o dia 28 de maio de 2018, com divulgação da lista de projetos no site do Itaú Cultural.

 

Pin It on Pinterest